Grande exchange divulga detalhes da nova política KYC após mudança para o Panamá

A Deribit, uma exchange de opções e futuros de criptomoeda que está se movendo da Holanda para o Panamá para evitar a nova lei anti-lavagem de dinheiro da Europa, lançou sua recém atualizada política Know Your Customer (KYC).

Em uma postagem no blog de 17 de janeiro, a Deribit disse claramente que sua mudança para o Panamá foi causada principalmente pela nova Diretiva Anti-Branqueamento de Capitais (5AMLD), uma importante lei europeia que visa combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo através de uma regulamentação mais rigorosa dos negócios relacionados á criptomoeda.

Embora a 5AMLD tenha sido aplicada em 10 de janeiro de 2010, a 5AMLD ainda não foi adotada na Holanda até o momento, mas deve entrar em vigor nos próximos meses, disse a Deribit, acrescentando:

"Devido à ambiguidade do processo de implementação da 5AMLD, não se sabe como o novo regulamento afetará a Deribit."

A Deribit baseada no Panamá será lançada em 10 de fevereiro de 2020

A Deribit anunciou as notícias em 9 de janeiro, observando que a partir de 10 de fevereiro de 2020, toda a plataforma operacional não será mais operada pela empresa holandesa Deribit BV, mas pela DRB Panamá, subsidiária 100% da entidade holandesa. Enquanto as operações da Deribit, juntamente com as propriedades dos clientes e as configurações do sistema, estão sendo transferidas para o Panamá, os servidores da empresa serão transferidos para Londres, informou a empresa.

Após a mudança, a Deribit aplicará novos termos de serviço e política de privacidade, que serão "materialmente semelhantes aos termos do Deribit B.V.", observou a empresa.

Duas camadas para os requisitos de KYC se aplicam em fevereiro

No entanto, a exchange supostamente alterará significativamente seus requisitos de KYC. Basicamente, a Deribit apresentará um nível adicional de requisitos KYC, fornecendo dois níveis diferentes de KYC - Nível 0 e Nível 1 - para impedir atividades ilegais em sua plataforma. O Nível 0 permitirá que os clientes da Deribit negociem até um bitcoin (BTC) ou 50 Ethers (ETH) por 24 horas, enquanto nenhum limite de volume de negociação se aplica ao Nível 1.

Especificamente, a Deribit está planejando registrar todos os seus clientes atuais como clientes de Nível 0. Os requisitos de nível 0 do KYC exigirão apenas informações básicas, como email, nome, data de nascimento e país de residência. Enquanto isso, o Nível 1 exige prova de sua identificação, como passaporte ou ID do governo.

A lista completa dos novos requisitos KYC da Deribit está disponível em seu site.

Deribit KYC requirements as of 10 February 2020

Requisitos de KYC da Deribit em 10 de fevereiro de 2020. Fonte: Deribit

Indústria de criptomoeda vai fortalecer a compliance com AML e KYC

A Deribit observou que a exchange se reserva ao direito de fechar imediatamente qualquer conta na plataforma e liquidar quaisquer posições em aberto, caso descubra que as informações da conta fornecidas, como localização ou local de residência, são falsas.

A empresa acrescentou que fez parceria com a principal empresa de análise blockchain Chainalysis, a fim de fortalecer suas ferramentas para monitorar transações suspeitas de criptomoeda.

A Deribit não é a primeira empresa a mudar sua estrutura operacional devido às novas leis KYC e anti-lavagem de dinheiro (AML) aplicadas pela União Europeia. De fato, algumas empresas como a provedora de carteira cripto, Bottle Pay, tiveram que interromper as operações no final de 2019, alegando que o escopo regulatório arruinaria a experiência do usuário.

Por outro lado, outras empresas relacionadas à criptomoeda na UE, como a CEX.IO, com sede no Reino Unido, afirmam ter sido totalmente compatíveis com a nova lei, pois trabalhavam extensivamente em sua política de compliance desde 2014.