A empresa de capital de risco, a Grayscale Investments informou que bateu recorde em 2019

A empresa de capital de risco Grayscale Investments divulgou que em 2019 superou a marca de US$ 1 bilhão no total de investimentos. 

Pelos números

Em um relatório abrangente de dezoito páginas, a empresa divulgou um recorde no quarto trimestre de 2019. Levantou US$ 225,5 milhões em seus produtos de investimento, elevando o ingresso do ano para US$ 607,7 milhões após trimestres consecutivos acima de US$ 225 milhões, possivelmente sinalizando uma tendência maior do mercado . 

71% da entrada do ano foram provenientes de investidores institucionais. O diretor-gerente Michael Sonnenshein disse ao Cointelegraph: 

"Vimos um investimento recorde na família de produtos da Grayscale, ilustrando a demanda contínua dos investidores por produtos de acesso à moeda digital e com a maioria do investimento proveniente de instituições, é claro que estamos experimentando uma adoção institucional". 

Os clientes existentes acumularam 75% do capital captado. Agora, 36% dos clientes da Grayscale usam vários produtos da empresa. A empresa viu sua base de clientes crescer 24%. 

Investidores da Grayscale adoram Bitcoin

O Grayscale Bitcoin Trust, que a Cointelegraph informou pela primeira vez no ano passado, liderou a demanda de investimentos de 2019 com um total de US$ 471,7 - US$ 193,8 milhões arrecadados no quarto trimestre, outra alta histórica da empresa sediada em Nova York. 

Sinalizando uma mudança entre as instituições tradicionais, a diretora de comunicações Marissa Arnold disse à Cointelegraph: "Como a maior administradora de ativos de moeda digital, sentimos que nossos números são indicativos de um sentimento mais amplo do mercado e de fluxos institucionais para a moeda digital". 

Como os investidores mais jovens continuam encontrando investimentos mais seguros em Bitcoin e outras moedas digitais, especialmente porque o Bitcoin desfruta de um pequeno aumento, este pode ser o caso, Arnold acrescentou: 

"A classe de ativos está passando por uma validação crescente de empresas legadas como Fidelity e CME, sinalizando para instituições e a comunidade de investimentos como um todo que a criptografia como classe de ativos veio para ficar."