Rede teste do Ethereum 2.0 já conta com 22.000 validadores

As redes de teste do Ethereum 2.0 estão em execução há semanas e, apesar de um começo cheio de instabilidade e reinicializações, cerca de 22.000 validadores já se juntaram à elas.

A rede Ethereum está se preparando para a migração para um novo sistema de consenso conhecido como Proof of Stake. Neste sistema, as transações são validadas por usuários que alocam recursos online, e não pela queima de energia e poder computacional como faz o sistema Proof of Work, que rege o Bitcoin.

Uma das redes teste é a da equipe Prysmatic Labs, lançada em 9 de janeiro. De acordo com Raul Jordan, um desenvolvedores do projeto, sua equipe "possui a maior rede de testes ETH 2.0".

Existem várias outras testnets ativas, mas a rede da Prysmatic Labs é uma das principais em atividade. Preston van Loon, outro desenvolvedor da equipe, afirmou nas redes sociais:

"Acabamos de ver quase 100% de participação de mais de 22 mil validadores ativos na primeira rede de testes ETH2 sem osso do mundo. Essas são 22k chaves de validação. Provavelmente, entre 5 e 10 operadores individuais. Talvez mais, mas é difícil dizer quem controla as teclas e quem é apenas um observador."

Segundo Loon, no total existem 70 nós ativos, o que é uma conquista para uma rede de testes de apenas quatro dias e mostra claramente quanto interesse há no lançamento do Ethereum 2.0.

Loon disse que os prestadores de serviços de stake serão os primeiros a atualizarem seus sistemas, já que eles irão se beneficiar da migração para a versão 2.0 da rede.

O criador do Ethereum, Vitalik Buterin, publicou um estudo com as previsões de receitas para quem realizar o Stake na rede Ethereum 2.0.

O estudo sugere que a rede irá gerar 6% de juros para os validadores que alocarem recursos no sistema Proof of Stake, enquanto a inflação geral é aumentada em apenas cerca de 0,2%.

Segundo o projeto, quanto mais ETH estiver alocado pelos validadores, menos cada um irá receber de recompensa. A rede teste está ajudando os desenvolvedores estimarem todos estes números antes de ativar a versão oficial da atualização.

A idéia do sistema de consenso Proof of Stake é a de que os validadores são recompensados por ficarem on line validando as transações.

De acordo com os desenvolvedores, o protocolo incentiva o uso de diferentes clientes e configurações de acordo com a forma que as penalidades são estabelecidas. Isso faz com que os usuários busquem o melhor cliente para rodar seus nós.

Quem deseja participar da rede precisa estar atento à qual cliente está conectado. Quanto mais os participantes ficarem off-line - talvez porque todos estão usando um cliente muito popular deficiente, por exemplo - mais serão punidos por mau comportamento acidental ou intencional.

A rede Ethereum vem se preparando para a migração para o sistema de consenso Proof of Stake a mais de um ano. Como mostrou o Cointelegraph, uma atualização surpresa na rede pode adiar em dois anos esse processo.