Quais foram os cinco maiores hacks de exchanges em 2019?

O mercado de criptomoedas em 2019 passou por vários eventos de hacks de exchanges, com milhões de dólares roubados em cada ataque. Confira quais foram os maiores ataques do ano.

Embora a tecnologia blockchain seja conhecida pela sua segurança e descentralização, o mesmo não se aplica à maioria das exchanges. Essas instituições financeiras - que atuam como uma casa de câmbio de moedas digitais - concentram grandes fundos e constantemente são alvos de hackers.

Cryptopia

O primeiro grande golpe aconteceu na Nova Zelândia, quando a principal exchange de criptomoedas do país - Cryptopia - anunciou o primeiro ataque do ano. A empresa perdeu cerca de US$ 2,44 milhões em Ethereum (ETH), e também cerca de 48.000.000 de tokens CENNZ - que valiam cerca de US$ 1,18 milhão na época.

O incidente permanece um mistério, já que a exchange nunca revelou detalhes técnicos sobre o ataque. 

Binance

Outro grande ataque em 2019 foi o hack da Binance, que ocorreu em maio deste ano. O hack foi o resultado de uma combinação de ataques de malware e phishing, e terminou com o roubo de US$ 41 milhões (7.000 BTC).

Felizmente, a Binance devolveu o dinheiro roubado para seus clientes. A empresa conseguiu se recuperar e ainda é uma das maiores exchanges do mundo.

Bithumb

A maior exchange de criptomoedas da Coréia do Sul, a Bithumb, também sofreu um ataque de hackers em maio de 2019. O ataque resultou em cerca de US$ 19 milhões roubados. 

Nos meses que se seguiram, o ataque foi atribuído a um funcionário da própria empresa. Todos os fundos roubados vieram das próprias reservas da empresa e nenhum cliente da Bithumb foi afetado.

GateHub

Em junho de 2019, o fornecedor de carteiras XRP Ledger - GateHub - anunciou que até US$ 10 milhões em XRP foram roubados. 

De acordo com o relatório, os atacantes conseguiram obter acesso aos fundos segmentando a API da carteira. A empresa declarou que não havia falhas na própria API e que todos os tokens de acesso eram perfeitamente válidos.

Coinbene

Ainda em março deste ano, a exchange CoinBene começou a apresentar problemas. A empresa notou que os fundos estavam deixando misteriosamente sua carteira quente. 

Como mostrou o Cointelegraph, o prejuízo pode chegar até US$ 100.000.000.

É sempre bom lembrar que não se deve deixar suas criptomoedas em exchanges. Por concentrar fundos de diversos usuários, essas plataformas são alvos de hackers e estão sob ataque constantemente.

Segundo especialistas, a melhor forma de estocar suas criptomoedas é através de hardware wallets. Os principais modelos utilizados são a Ledger e a Trezor.