Um dos tokens com maior rendimento em 2021 é o PancakeSwap (CAKE), moeda nativa da plataforma DeFi que já é a maior do ecossistema Binance Smart Chain.

O CAKE tem tido uma ascensão inacreditável e que explica porque o token antes desconhecido foi alçado ao 24o. lugar entre as criptomoedas do CoinMarketCap, acumulando US$ 9,9 bilhões em valores empenhados e US$ 6,5 bilhões de capitalização.

O token começou 2021 nos mesmos níveis de 2020, próximo dos US$ 0,60, mas começou a ganhar tração no fim de janeiro, quando começou uma arrancada vertiginosa.

Em fevereiro, o CAKE já assombrou o mercado cripto ao bater em US$ 17 e corrigir mas continuou sua ascensão nos meses seguintes, com os preços explodindo em abril.

Desempenho do CAKE em 2021. Fonte: CoinMarketCap

Nos últimos 30 dias, o token saiu de US$ 16 para anotar um novo recorde, disparando 45% desde 18 de abril e chegando a US$ 44 na noite da última quinta-feira, disparada acumulada no mês de mais de 150%.

No ano, a disparada do token já supera os 7.000%, apesar da correção de 3% na manhã desta sexta-feira. O desempenho supera outros tokens de destaque em 2021, como o DOGE (5500% de valorização), o MATIC (4.300%) e o SOL (2.300%).

A plataforma PancakeSwap é um a exchange descentralizada que permite a troca de tokens e a promoção de liquidez através de farms de rendimento. Lançada em setembro de 2020, a plataforma usa a Binance Smart Chain para trocar tokens BEP20. Segundo o CMC, os fundadores anônimos eram "fãs de panquecas", por isso batizaram a plataforma assim. Há outros fãs gastronômicos no setor DeFi, com o mais famoso sendo o fundador da polêmica plataforma SushiSwap.

O sucesso da PancakeSwap também tem impactado diretamente no crescimento do ecossistema Binance Smart Chain e até mesmo na criptomoeda nativa da Binance, o BNB, que também vive um ano de máximas históricas e desempenho ascendente, como noticiou o Cointelegraph Brasil.

LEIA MAIS