Grupo de pesquisa do MIT define o universo das criptomoedas como campo de teste para ativos digitais do banco central

O grupo de pesquisa de tecnologia de criptomoeda do MIT, a Digital Currency Initiative, explicou recentemente que uma moeda digital do banco central (CBDC) acabará por usar alguns dos conceitos e tecnologias atualmente em jogo no espaço experimental da criptomoeda.

"A CBDC não deve ser uma cópia direta das criptomoedas existentes com exatamente o mesmo design e recursos, mas há coisas que podemos aprender com seu surgimento - a utilidade da programabilidade em dinheiro e a importância de preservar a privacidade do usuário", escreveu o grupo do MIT em um longo relatório em 22 de janeiro.

Um nascimento por necessidade

Apontando para a interseção de tecnologia e finanças, o grupo do MIT observou que a inovação na transferência de valor digital ficou para trás do desejo crescente do mundo por soluções de pagamento computadorizadas, como visto parcialmente no setor de comércio eletrônico.

O espaço cripto surgiu dessa necessidade, escreveu o grupo, que continha tentativas e erros significativos até agora em sua história, fazendo com que as autoridades reavaliassem o estado atual do dinheiro.

Uma escolha de aspectos

No universo das criptomoedas, grande parte do ecossistema permite contribuições de praticamente qualquer pessoa, tornando-o um sistema aberto, de desenvolvimento e contrapeso, até certo ponto, além de acender níveis de concorrência no mercado, explicou o grupo MIT.

"O ecossistema de criptomoedas deve ser visto como um laboratório em que os desenvolvedores estão inventando diferentes tecnologias, políticas monetárias, estratégias de governança e sistemas de recompensa", escreveu o grupo, acrescentando:

"O espaço ainda está engatinhando, mas não se engane: idéias bem sucedidas dessa área acabarão encontrando seu caminho para o mundo mais conservador dos pagamentos digitais fiduciários".

O relatório lista várias conclusões importantes da indústria de criptomoeda e blockchain até o momento, incluindo protocolos de consenso descentralizados em blockchain, "Transações atômicas de cadeia cruzada como exemplo de dinheiro programável" e métodos de privacidade baseados em blockchain.

O Cointelegraph procurou os autores do relatório do grupo MIT para obter mais clareza, mas não recebeu comentários até o momento. Este artigo será atualizado de acordo com o recebimento de uma resposta.

Em maio de 2019, o Cointelegraph também informou sobre o trabalho de um professor do MIT com o projeto LIbra do Facebook.