Uma análise da Coinmetrics mostrou que toda vez que a Coinbase anuncia uma listagem de alguma criptomoeda, o ativo em questão passa por forte valorização no mercado, mesmo para ativos de pouca relevância no ecossistema das criptomoedas.

Os dados analisados demonstram as listagens de pares e sua consequente influência sobre o mercado e o ativo. Em 7 de dezembro de 2018, a Coinbase anunciou a intenção em relação a 31 ativos para uma possível listagem. O gráfico abaixo mostra a mediana e o desempenho médio do grupo mencionado em relação aos diferentes benchmarks, após o anúncio.

Imagem: Coinmetrics

Uma possível listagem da Coinbase e o efeito pump

Em julho do ano passado, a Coinbase publicou uma lista de criptoativos que a exchange considerava listar em sua plataforma. Um deles era Zcash (ZEC), que logo depois teve uma valorização de 20%.

Outro ativo mencionado para a listagem foi o Ethereum Classic (ETC), que  valorizou 22,5% no anterior à listagem.

Imagem: Coinmetrics

Nos dias seguintes ao anúncio, em média, esses ativos sofreram uma alta de preços em torno de 10%. Em geral, esses ativos se sustentam melhor em relação a outras altcoins, como ZEC, XMR e DOGE, e não tão bem em relação ao BTC, ETH ou ao dólar americano.

A premissa sobre a influência de valorização da Coinbase sobre os ativos, funciona também para os ativos já listados, quando mencionados pelo blog da exchange norte-americana. 

Imagem: Coinmetrics

O estudo da Coinmetrics mostra que a Coinbase consegue influenciar boa parte do espectro do mercado de criptoativos, indicando os movimentos de preço a partir de seus lançamentos.

A Coinbase e a Binance tem sido os endereços de exchanges mais visitados no mundo desde o ano passado, em um estudo publicado pelo Cryptowatch. Os últimos dados coletados, em junho do ano passado, mostram que ambas possuem mais de 1 milhão de visitas por dia.

LEIA MAIS