Um estudo realizado pela GlassNode mostrou que 25% do volume de Bitcoins transacionados onchain mudam de mãos frequentemente. Isso significa que apenas um quarto de todo o Bitcoin em circulação está de fato circulando.

Ao mesmo tempo, a estatística revela que uma concentração de 75% de todo o Bitcoin disponível nas mãos das exchanges. 

Segundo analistas, o dado também mostra que a adoção do ativo ainda é baixa, muito distante daquilo que se espera em escala global.

Outras análises apontam cenários bastante parecidos. Dados da Nomics e da IntoTheBlock cruzados pelo site Cryptowatch, também mostram indícios da forte concentração.

Imagem: Cryptowatch

O gráfico acima indica que quase 89% de todo o Bitcoin disponível no mercado - cerca de 18 milhões de unidades - estão nas mãos das bolsas de criptoativos. 

Para a adoção e a disseminação da tecnologia, o dado evidentemente não é positivo. 

Outro dado alarmante diz respeito às baleias (pessoas com grandes quantidades do ativo): apenas um delas possui 1,41% de todo o Bitcoin disponível. 

Os outros cerca de 10% estão nas mãos dos investidores, os famosos hodlers.

Em 21 de agosto de 2019, um volume de mais de US$ 250 bilhões foi movimentado em um único dia. 

A título de comparação, nesse mesmo dia, o Bitcoin batia a marca dos US$ 10 mil pela primeira vez em 2019, mas seu volume nominal no mercado aberto era de apenas US$ 52 bilhões, segundo dados do CryptoCompare.

Imagem: CryptoCompare

No entanto, esse volume foi causado simplesmente pela "mudança" do Bitcoin, associada a uma exchange que criou novas carteiras frias e reorganizou seus fundos internamente - nenhum Bitcoin “real” foi transferido entre diferentes participantes da rede.

Esse fluxo de Bitcoin foi da Huobi em direção à Binance. A Huobi tem servido de ponto entre os investidores chineses e a Binance, desde que esta mudou sua sede fiscal para Malta, a fim de fugir das regulações da China continental (Mainland). 

Na economia do Bitcoin, as implicações de se mover fundos dentro da mesma entidade ou de realmente transferir a propriedade do ativo entre os participantes da rede, são muito diferentes - e representam coisas muito diferentes em termos de atividade econômica. 

Além de impactar as análises e o cenário da adoção do ativo, o dado também é relevante porque afeta uma das características principais do Bitcoin: ele é operado em rede, e só existe por causa dela. A concentração excessiva, por sua vez, vai de encontro a isso.