O volume de fluxos de criptomoeda que chega aos mercados da darknet dobrou pela primeira vez em quatro anos, diz um novo estudo.

Como parte de seu relatório Crypto Crime Report 2020 publicado em 28 de janeiro, a Chainalysis - uma empresa de análise de blockchain baseada em Nova York - descobriu que os mercados darknet aumentaram significativamente sua participação no total de transações de criptografia de entrada em 2019, dobrando de 0,04% em 2018 para 0,08 %

Criptomoedas em darknets driblam supervisão de autoridades

De acordo com o estudo, as vendas totais de mercado em criptografia cresceram 70% em 2019, respondendo por mais de US$ 790 milhões em criptomoedas depois de ver um pequeno declínio em 2018. Esta foi a primeira vez em que as vendas ultrapassaram US$ 600 milhões, diz a Chainalysis.

Apesar da participação total dos pagamentos em criptomoedas na darknet permanecer bastante baixa, o recente crescimento de volumes indica a resiliência dos mercados da darknet ao aumento do escrutínio jurídico dos reguladores globais, acredita Chainalysis. Segundo a empresa, o número total de mercados ativos da darknet permaneceu estável nos últimos anos, apesar do aumento da aplicação da lei.

Especificamente, o estudo sugeriu que, à medida que alguns mercados se fecham, outros ainda conseguem preencher a lacuna e satisfazer a demanda dos clientes. Enquanto oito dos mercados ativos em 2018 foram fechados em 2019, oito novos foram abertos no mesmo ano, mantendo o número total de mercados ativos em todo o mundo em 49.

Participação de mercado da Darknet em todos os pagamentos de criptografia, 2013-2019. Fonte: Chainalysis

Razões para a alta

De acordo com Chainanlysis, a crescente participação de criptomoedas que chega aos mercados darknet é supostamente causada pela implementação de novas tecnologias, o que torna o processo operacional mais descentralizado. Para evitar paralisações pela aplicação da lei, alguns mercados da darknet estão adotando novas infraestruturas que possuem uma estrutura totalmente descentralizada, que é semelhante ao navegador Tor ou "a própria blockchain", observou Chainalysis.

Como parte do estudo, Chainalysis disse que espera ver mais mercados darknet aceitando ou mesmo exigindo o uso de criptomoedas orientadas à privacidade, como o Monero (XMR). Em janeiro de 2019, a empresa descobriu que o valor em Bitcoin enviado aos mercados darknet havia aumentado 70% em 2018.

Enquanto reguladores e autoridades de aplicação da lei estão fazendo o possível para fechar os mercados da darknet operando com criptomoedas, novas notícias de prisões continuam chegando.

No início de janeiro de 2020, um cidadão dos Estados Unidos foi acusado de distribuição ilegal de narcóticos em troca de Bitcoin.

Enquanto alguns mercados estão sendo fechados, outros estão fazendo planos de expansão ainda mais ambiciosos para ir além do foco principal de distribuição de produtos ilícitos. O maior mercado da darknet da Rússia anunciou planos de levantar US$ 146 milhões em uma oferta de tokens que permitiria que ele fosse expandido globalmente no fim de 2019. Anunciado pelo Hydra, um mercado ilegal de substâncias ilícitas, a venda de tokens não é de forma alguma legal em termos de leis globais de valores mobiliários.