A Chainlink (LINK) aumentou 142,2% este ano, e vem chamando a atenção do mercado. A rede descentralizada da Chainlink fornece acesso à sistemas de pagamento, provedores de dados e nuvem, APIs, dispositivos de IoT e outros serviços relacionados à blockchain. Além disso, o software da Chainlink e os adaptadores externos permitem compatibilidade de troca de dados entre dois sistemas diferentes. Por isso ela tem sido usada em projetos de web 3.0 e oráculos.

De acordo com dados da IntoTheBlock e Cryptocompare, a Chainlink apresentou ao longo dessa semana um total de 1.480 novos endereços por dia contra 862 por dia, desde seu lançamento. A rede da Chainlink cresceu em uma proporção positiva, com uma média de 623 endereços diários nos últimos 7 dias. Crescimento total da rede: 4.300 endereços. Como podemos ver no gráfico abaixo.

Imagem: IntoTheBlock

O número de endereços continua aumentando. O número de endereços que mantêm Chainlink (LINK) por mais de 1 ano é de 20,17 mil endereços, representando 20,01% do total de endereços com saldo em LINK.

O número de endereços em hold entre 1 a 12 meses, é de 64,25 mil endereços (63,72%), enquanto de novos endereços que entram na rede e negociam ativamente representam 16,27%, com 16,41 mi endereços. Segundo estudos da IntoTheBlock.


Imagem: IntoTheBlock

O LINK apresentou um recuo nos últimos dois dias da ordem de 10%, mas já acumula 52% de valorização desde janeiro. Mas o ativo, ainda não conseguiu bater sua maior alta, ocorrida em julho de 2019, quando atingiu a cotação de US$ 4.81.  

Imagem: Cryptocompare

O RSI está acima do nível 50 para mostrar que os touros permanecem no controle do momento. O RSI estocástico precisa produzir um sinal de cruzamento de alta antes do próximo impulso de alta para ultrapassar a alta do ano passado. Na publicação desta matéria, o LINK está operando na zona de sobrevenda e pode apresentar resistências nas faixas dos US$ 4,81 a US$ 6.