No total, o Bitcoin (BTC) sofreu apenas 10% com o surto de coronavírus, que derrubou as ações e levou os Estados Unidos a imprimir US$ 6 trilhões.

Isso de acordo com os últimos dados trimestrais de preços do recurso de monitoramento Skew.com em 31 de março, que mostraram que, no primeiro trimestre de 2020, o BTC / USD caiu apenas cerca de 10,7%. 

Bitcoin à frente dos ativos macro em 2020

No momento desta publicação, o par continuava em alta depois de buscar novo suporte em US$ 6.500 na segunda-feira, 30 de março.

Nesses níveis, o par é apenas US$ 700 mais baixo do que sua posição no início de 2020 e US$ 3.800 abaixo da atual alta histórica de todos os tempos, em cerca de US$ 10.300.

O Bitcoin avançou 75% nas últimas duas semanas desde que atingiu seu ponto trimestral mais baixo - em um período volátil, essa recuperação chegou a 90% quando atingiu mais de US$ 7.000 em algumas exchanges.

Bitcoin vs. rendimentos de títulos de 10 anos nos EUA, gráfico de 1 ano. Fonte: Skew

Como tal, o Bitcoin agora parece cada vez mais resiliente como uma opção de investimento em relação aos mercados tradicionais, que ainda estão muito atrás como resultado do coronavírus.

Isso apesar da intervenção dos bancos centrais em uma escala nunca antes vista na história - como observou o Cointelegraph, o exercício de impressão de dinheiro dos EUA recriou todo o PIB do país em 1990.

Segundo trimestre parece lucrativo

Estatisticamente, o segundo trimestre de um determinado ano tende a ser o mais lucrativo para os detentores de Bitcoin. Desde 2013, apenas um segundo trimestre apresentou retornos negativos, revela o Skew, com ganhos médios totalizando 65%.

Retornos trimestrais do Bitcoin desde 2014. Fonte: Skew

Sinais de potencial estão se tornando visíveis em alguns indicadores. Como a Bloomberg informou, o indicador de divergência de convergência GTI Vera está dando ao Índice Bloomberg Galaxy Crypto seu primeiro sinal de "compra" em três meses.

O clima entre os analistas também está se tornando mais otimista. Em sua última previsão na segunda-feira, o operador veterano, Tone Vays, disse que não esperava mais que o BTC / USD encontrasse novos mínimos de menos de US$ 3.700.

No início de março, ele havia avisado que o Bitcoin poderia cair para US$ 2.800. Mesmo que isso ainda acontecesse, ele acrescentou, não representaria uma ameaça desde que fosse antes do halving de maio.