A taxa de hash da rede Bitcoin (BTC) acabou de cair acentuadamente e agora está quase 45% abaixo do seu pico de 2020.

A taxa de hash da rede caiu de 136,2 quintilhões de hashes por segundo (EH / s)em 1º de março, para 7,5,7 EH / s hoje, 26 de março, de acordo com dados do Blockchain.com.

Coin.dance - outro site de análise para a blockchain da moeda - revela um padrão semelhante, ainda que menos acentuado. O site relatou um pico de 2020 de aproximadamente 150 EH / s em 5 de março, hoje em dia, para 105,6 EH / s - uma redução de 29%.

Taxa de hash da rede Bitcoin, 19 de abril de 2019 a 27 de março de 2020, Fonte: blockchain.com

Taxa de hash e dificuldade

A taxa de hash de uma criptomoeda é um parâmetro que fornece a medida do número de cálculos que uma determinada rede pode executar a cada segundo.

Uma taxa de hash mais alta significa maior concorrência entre os mineradores para validar novos blocos; também aumenta o número de recursos necessários para realizar um ataque de 51%, tornando a rede mais segura.

Depois de um mês volátil em que o Bitcoin viu perdas dramáticas de 60%, a cerca de US$ 3.600 em meados de março, a dificuldade da rede ontem diminuiu perto de 16%.

A dificuldade - ou quão desafiador é computacionalmente resolver e validar um bloco na blockchain - é ajustada a cada duas semanas, a fim de manter um tempo consistente de verificação de bloco de ~ 10 minutos.

Isso tem uma conexão estreita com a taxa de hash da rede. Normalmente, quando a rede vê um baixo nível de participação na mineração, a dificuldade diminui - enquanto em períodos de intensa participação na rede, ela aumenta, funcionando como um mecanismo de contrapeso.

Conforme relatado ontem, o último ajuste descendente em dificuldade foi em 25 de fevereiro deste ano, quando o preço da moeda estava em torno de US$ 9.900. Apenas três dias depois, caiu para cerca de US$ 8.800 e, em 14 de março, para quase US$ 4.800 - e até US$ 3.600 em algumas exchanges, conforme observado acima.

Interpretando os dados

Essa relação entre preço, taxa de hash e dificuldade tem gerado historicamente uma tendência que alguns analistas chamam de ciclo de capitulação de "mineradores".

A teoria sustenta que, embora o preço do Bitcoin permaneça alto e a mineração seja lucrativa, a taxa de hash e a dificuldade aumentam até chegar a um limite no qual os mineradores são espremidos e forçados a liquidar cada vez mais suas participações para cobrir suas despesas - levando a uma aumento da oferta de Bitcoin no mercado.

O "ponto de capitulação" - no qual alguns não podem mais continuar com a mineração - envolve então um declínio na taxa de hash (refletindo menor participação) - como pode ser visto hoje - e uma redefinição subsequente na dificuldade da rede.

De acordo com dados do btc.com, atualmente está previsto que a dificuldade do Bitcoin diminua mais 16% em 14 dias.