Adam Back fala sobre e-mails com Satoshi Nakamoto, preocupações de privacidade e início do Bitcoin

Exatamente 11 anos após o lançamento do Bitcoin, conversamos com Adam Back sobre o começo do Bitcoin e sobre questões de privacidade, durante a Labitconf 2019 no Uruguai.

O CEO da Blockstream, desenvolvedor e criptografador, é o inventor do hashcash, o sistema de prova de trabalho usado pelo Bitcoin.

Em uma entrevista exclusiva ao Cointelegraph Brasil, ele falou sobre os detalhes dos primeiros dias do Bitcoin, seus primeiros emails sobre Bitcoin com Satoshi Nakamoto e outros que teria trocado com Nakamoto, além de outras informações.

Back também descartou a ideia de que ele é o pai do Bitcoin e disse que não ajudou Nakamoto a criar a maior criptomoeda do mercado, apesar de confirmar que ele provavelmente era a primeira pessoa com quem Satoshi Nakamoto conversou enviando um email ao criador do hashcash contando sobre sua ideia.

Cypherpunks
“Havia muitas outras coisas que abriram o caminho para o Bitcoin, como experimentos em dinheiro digital conduzidos pelos ideais de Cypherpunks. Na década de 1990, quando o movimento realmente começou, eu estava na Europa, então só participei de uma dessas reuniões  pessoais dos Cypherpunks na baía de São Francisco.

No entanto, os Cypherpunks não discutiam apenas sobre e-cash, mas muitos outros tópicos relacionados à privacidade. Naquela época, não havia apenas a lista The Cryptography Mailing, onde Satoshi publicou pela primeira vez, mas muitas outras listas, nas quais Nick Szabo, Wei Dai, Hal Finney e outros conversavam frequentemente sobre ecash. 

Alguns estavam fisicamente na área da baía - acho que Nick Szabo, por exemplo, pode ter participado das reuniões presenciais dos Cypherpunks na área da baía, junto com os co-fundadores da lista de cypherpunk Eric Hughes, John Gimore e o falecido Timothy May.

Em 1981, David Chaum já havia criado as bases para a comunicação anônima e, em 1983, lançou esquemas de assinatura cega. Privacidade, anonimato, liberdade individual e controle digital foram tópicos importantes para os Cypherpunks, além de matemática e programação. ”

E-Cash
“O dinheiro digital também foi um tópico importante e foi discutido na lista Cypherpunks e em outras listas, como Coderpunks, Cryptography e Bluesky. (* Note, Adam Back foi um dos mais ativos na lista de cypherpunks, com mais de 700 posts publicados).

Como o assunto era quente, houve muito debate sobre a criação de dinheiro digital. Além dos mais famosos DigiCash de Chaum, B-Money (Wei Dai) e Bit-Gold (Szabo), existem muitos outros documentos obscuros sobre o assunto, e enviei referências a Satoshi a alguns deles relacionados à prova de trabalho em 2008.
Naquela época, em 1998, Wei e Szabo já estavam discutindo suas idéias sobre dinheiro digital e compartilhando suas propostas com B-Money e Bit-Gold entre si e outros participantes dessas listas.

Também houve minha contribuição de hashcash em 1997, bem como muitos artigos de prova de trabalho posteriores, dezenas deles após o hashcash e antes do Bitcoin e alguns outros após o lançamento do Bitcoin. 

Mencionei alguns em meu artigo de 2002 sobre o hashcash e alguns documentos anteriores da Prova de Trabalho, como Dwork e Naor e outros documentos relacionados. Não podemos esquecer que também havia o RPOW de Hal Finney que antecede o Bitcoin em 2004.

Havia também pessoas anônimas procurando criar dinheiro virtual como MagicMoney da Product Cipher e outras ferramentas de privacidade como o “pgp stealth” de Henry Hastur, do qual mais tarde assumi a manutenção.

Portanto, se ele estivesse na lista de cypherpunks, Satoshi não seria o único "anônimo" nessas listas, nem o único tentando lançar um papel-moeda virtual. Havia muitas pessoas anônimas e pseudônimos discutindo tópicos nas listas Cypherpunk, incluindo o tópico ecash.

Eu mesmo, Hal Finney e Peter Todd, que tinha apenas 15 anos em 2001, discutimos sobre dinheiro digital e hashcash na lista bluesky, com Todd também interessado em criar dinheiro digital descentralizado ".

A 'primeira' transação de dinheiro virtual
“Descentralizado. Esta é talvez a palavra principal sobre o Bitcoin decorrente das propostas que vieram antes dele. Chaum havia lançado a primeira versão de um 'dinheiro digital' em 1989, e alguns de nós nas listas de cypherpunk tentamos inserir valor. No servidor de demonstração do Digicash de Chaum, foi possível obter moedas por e-mail e naquela época foi prometido que ele não emitiria mais de 1 milhão de unidades.

No servidor de demonstração, eu até vendi algumas camisetas (exportadas camisetas rsa) e todos nós que estávamos usando o Digicash Demo pensamos que, se houvesse gente suficiente, poderia começar com um valor estável, desde que apenas um milhão de moedas fossem emitidas.

Infelizmente, o DigiCash faliu durante esse experimento, e o banco de dados centralizado de gastos duplos também foi um problema, porque se você tivesse moedas, era impossível provar a alguém se elas foram ou não gastas depois que ele se foi.

A lição aprendida com o DigiCash foi que precisávamos de uma abordagem descentralizada, ponto a ponto, e isso fazia parte da discussão sobre hashcash, B-Money, Bit-Gold e RPOW e outras idéias de bootstrap.

Você precisava criar dinheiro digital de maneira descentralizada, sem interface bancária, sem permissão ou parceria com um banco. ”

Hashcash
“É por isso que o conceito de hashcash e mineração era atraente. Como algumas pessoas poderiam explorá-lo para criar moedas e outras poderiam comprá-las e vendê-las no mercado secundário descentralizado, porque não havia banco de dados centralizado nem parceria bancária necessária.

Também havia lacunas no B-Money e no Bit-Gold, portanto eles não eram projetos totalmente completos ou tinham jogadores e mercados humanos cumprindo funções que o bitcoin é capaz de automatizar dentro do protocolo.

O Hashcash foi amplamente divulgado na época em revistas de informática e publicações on-line porque o spam era um tópico cada vez mais popular e havia um incômodo na corrida armamentista para a qual algumas pessoas de TI e grupos da IETF tentavam encontrar soluções.

Então Satoshi poderia ter aprendido sobre o Hashcash sem nunca debater nada nos grupos de Cyphperpunks. ”

Emails com Satoshi
“Em agosto (ou julho) de 2008, recebi um e-mail de Satoshi Nakamoto com um white paper de e-cash (ainda não havia nome Bitcoin) e parecia interessante.

As perguntas da época eram como “ele começará isso? quais são os princípios? ”Sugeri que Satoshi deveria procurar o B-Money, que ele não parecia saber naquele momento, e é assim que acho que o B-Money foi adicionado ao jornal.

Havia mais alguns e-mails e também enviei o artigo de Ron Rivest, de 1996, sobre o  Micromint, que extrai colisões de hash k-way em vez de pré-imagens parciais usadas pelo Bitcoin. É um pouco centralizado, mas interessante.

Provavelmente, poucas pessoas estavam cientes do papel micromint ou ainda menos dest e de outras propostas de moeda digital. Embora eu estivesse ciente do trabalho de Szabo, por acaso não o enviei referência a Bit-Gold. ”

Bitcoin Software
Não ajudei a criar Bitcoin, não programei nada nem participei de nenhuma tarefa de programação. Na época em que o software foi lançado, Satoshi o enviou para mim, mas eu não o ajudei com isso.

Hal poderia revisar o código inicial do Bitcoin. Nunca conheci Hal pessoalmente, mas gostei muito da sua criatividade e da discussão de tópicos na lista de cypherpunks ou no e-mail com ele. 

Se "Cypherpunks escreve código", Hal era um escritor de código, com certeza.

Houve alguma especulação sobre quem pode ter ajudado Satoshi a revisar o código Bitcoin antes do lançamento por causa do e-mail que ele enviou à lista em novembro de 2018. Mas parece que Satoshi programou o Bitcoin primeiro antes de escrever o artigo e provavelmente ele próprio fez várias revisões do código e outras posteriores.

Hal, por exemplo, podem ter ajudado a revisar comentários ou relatórios de bugs ou fazer pequenas correções de bugs, assim como quando você escreve um texto e pede a alguém para revisar a gramática

 

fonte: https://satoshi.nakamotoinstitute.org/emails/cryptography/6/

 

Bitcoin lançado com problemas de privacidade
“Ao contrário de Hal Finney e outros, embora Satoshi tenha me enviado o software antes do lançamento oficial, eu não comecei a executá-lo logo no início. Logo após seu lançamento, Hal tentou usar o Bitcoin e escreveu um resumo de como ele funcionava na lista de discussão, e depois disso voltei a analisar o Bitcoin.

Pareceu-me que o Bitcoin tinha limitações de privacidade em comparação com o protocolo de Chaum de 1981.

Como eu disse, estou interessado em tecnologia, criptografia e protocolos de privacidade, por isso estava interessado em melhorar a privacidade e a fungibilidade do Bitcoin, então propus posteriormente transações confidenciais e assinaturas Schnorr além de algumas outras idéias.

Gradualmente, o Bitcoin estava ganhando força e não era mais apenas uma proposta, mas um dinheiro digital realmente descentralizado realmente funcionando. Para resolver os problemas de privacidade não implementados no Bitcoin, propusemos a criação de cadeias laterais em 2013, como o Liquid, para ajudar os recursos a serem implementados, ganhar experiência e confiança com eles e validar compensações. E depois fundei a blockstream com Greg Maxwell, Pieter Wuille e outros para desenvolver essa tecnologia e torná-la de ponta a ponta utilizável. ”

O email
“Nunca revelei meus e-mails para Satoshi e talvez nunca o revele. Netiquette (uma espécie de etiqueta digital) diz que não se deve compartilhar e-mails sem permissão e eu não perguntei se Satoshi estaria bem em revelar e-mails pessoais”, disse Back, lembrando-se de sua citação anteriormente declarada de que Satoshi permanecer anônimo“ é um recurso do Bitcoin ”, portanto, se ele tivesse algum registro que pudesse reduzir seu anonimato e levar à identidade de Satoshi, ele "os excluiria ou destruiria".

Confira mais notícias