Assim que surgiram as primeiras noticias de que a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) havia aprovado o primeiro ETF de futuros de Bitcoin (BTC) da história americana o preço da principal criptomoeda do mercado começou a subir estabelecendo uma máxima histórica em US$ 69 mil pouco tempo depois do sucesso no lançamento do ETF.

Com a aprovação da SEC para o ETF de futuros de BTC analistas começaram a especular que seria questão de tempo a aprovação de outro ETF de Bitcoin, só que agora de varejo o que era apontado como o principal gatilho para levar o preço do BTC acima de US$ 100 mil ainda em 2021.

Contudo para os analistas da Passfolio, se o BTC depende de uma nova aprovação da SEC para atingir US$ 100 mil então é melhor os investidores jogarem a tolha pois isso não vai acontecer este ano e, com muita sorte, pode ocorrer algo somente no segundo semestre do ano que vem.

Em uma análise encaminhada ao Cointelegraph a empresa destaca que a Kelly Strategic Trust retirou seu pedido de ETF de futuros de Ether no último dia 3 de dezembro, menos de uma semana após enviá-lo.

A Passfolio argumenta a retirada segue outros ETFs de ETH que foram retirados apenas 2 dias após o envio, assim como o ETF de futuro de Bitcoin alavancado em 1,25x que foi retirado em 3 dias.

“A SEC deixou claro que ainda tem muitas dúvidas sobre o mercado de criptomoedas em geral, e até mesmo ETFs à vista de Bitcoin estão fora de questão por enquanto, então é improvável que vejamos qualquer ETF criptográfico diferente dos atuais ETFs de Bitcoin futuros pelo menos até meados de 2022”, diz David Gobaud, fundador e CEO da Passfolio.

Gobaud se refere ao mais recente ataque feito pelo presidente da SEC, Gary Gensler, aos ETFs de spot de Bitcoin, enquanto respondia a perguntas do congressista Pat Toomey, um membro importante do Comitê Bancário do Senado. Gensler afirmou que “a falta de supervisão regulatória e vigilância leva a preocupações sobre o potencial de fraude e manipulação”.

O que esperar para o preço do Bitcoin

Sem ETF e tentando se recuperar de uma queda vertiginosa fica cada vez mais improvavel que o BTC veja seu preço na casa dos US$ 100 mil este ano.

"O Bitcoin caiu -13,8% na semana entre 29 de novembro e 05 de dezembro, caindo abaixo do limite de $ 50.000 e cancelando os ganhos do mercado de alta de dois meses que começou em 29 de setembro. O dia 04 de dezembro foi um dos piores dias para o preço do Bitcoin desde 26 de novembro (-8,8%), com um mínimo de $ 42k e um fechamento de -8,3%.", aponta.

A Passfolio aponta também que a queda no BTC também impactou os ETFS com exposição no criptoativo já que os três ETFs de bitcoin negociados nos EUA caíram cerca de -1,7% na semana, mas com perdas de quase -9% durante o horário de negociação em 06 de dezembro.

  1. Brasileiros são contratados pela NBA para criar NFTs para o time do The Philadelphia 76ers

"O final deste ano provavelmente será tranquilo para os ETFs de criptomoedas. A SEC rejeitou o pedido do WisdomTree para um ETF à vista de Bitcoin em 2 de dezembro. O próximo na fila para uma resposta é a proposta de ETF à vista de Kryptoin, e a SEC tem até 24/12 para tomar uma decisão. No entanto, o consenso do mercado é que haverá outra rejeição e é improvável que a notícia estrague o Natal de alguém", aponta.

Porém destaca que o sentimento da semana passada piorou sensivelmente, com o Crypto Fear & Greed Index caindo para "medo extremo", com a pontuação mais baixa desde 21 de julho.

No entanto, aponta que muitos comerciantes experientes como Michaël van de Poppe ainda não acreditam nisso o mercado altista acabou e o nível de suporte de $ 40k ainda se mantém. Se o preço não cair abaixo de $ 40k, é mais provável que o Bitcoin gaste meses variando de $ 42k a $ 53k, de acordo com Scott Melker.

LEIA MAIS