A liquidez geralmente se refere à facilidade com que um ativo pode ser trocado por dinheiro sem afetar o preço desse ativo. Essa definição tem dois aspectos: facilidade (velocidade e esforços envolvidos) e preço (slippage, ou a diferença entre o preço esperado e o preço executado em um pedido grande). 

Além da liquidez para um ativo específico, também falamos sobre liquidez do mercado, que lida com a saúde do mercado em geral. Um mercado líquido é aquele em que ativos podem ser facilmente comprados e vendidos a preços estáveis e transparentes.

Na maioria das vezes o que mais provoca prejuízo em um momento de queda e consequente panic sell é sua ordem de venda ficar “parada” no livro de ordens de venda de uma exchange com pouca liquidez.

Este é um fenômeno muito comum nas exchanges nacionais.  O trader iniciante procura pela menor cotação entra e não atenta para as ordens de venda, um belo dia ele descobre que não há liquidez para seus ativos.

Em um mercado altamente líquido, os participantes podem negociar com facilidade, rapidez e preços justos. Em mercados e com ativos de pouca liquidez, a execução de uma ordem não será rapidamente executada e acaba-se amargando um prejuízo.

E quando a questão da liquidez diz respeito diretamente aos criptoativos? O volume é o indicador mais importante.

Volume - o indicador mais importante

O volume pode indicar a direção e os movimentos da atual tendência do mercado. Maior volume de negociação equivale a mais atividade comercial (venda e compra) e, portanto, é um mercado líquido.

Além disso, um volume maior apoiando uma tendência do mercado - uma diminuição ou aumento nos preços das criptomoedas - significa maior atividade do mercado apoiando a tendência geral. Isso traz potencialmente mais sustentabilidade às transações. 

Vejamos, uma queda com volume considerável de vendas pode significar que uma moeda está em baixa prolongada. Se os movimentos de preços não forem suportados pelo volume, isso indicaria, por outro lado, significa que apenas um pequeno número de pessoas está apoiando a atual tendência de preços e, portanto, o movimento pode ser de curta duração, ou estamos diante de alguma manipulação de mercado. De fato, picos de preços com volume de negociação baixo é um dos indicativos de manipulação de preços.

Imagem: Coinmarketcap

O gráfico acima nos mostra o ranking das maiores moedas e seus volumes. Das 5.777 moedas listadas, somente 40 delas possuem liquidez suficiente para sustentar operações longas e curtas de trading. 

Dito isso, a maioria dos especialistas ainda argumentam que as criptomoedas são grandes ativos ilíquidos. Isso apesar de ter mais opções líquidas como Ethereum, Tether ou Bitcoin dentro da criptoeconomia.

É o que nos revela o analista de mercado Willy Woo em seu Twitter.

Imagem: @woonomic

Diante desse quadro desolador para quem possui pouco conhecimento sobre alocação de recursos, sobre assimetria da informação e teoria dos jogos lidar com ativos tão voláteis e manipuláveis é a receita certeira para se perder dinheiro.

Em resumo, é o tipo de cenário que só fortalece os Bitcoiners Maximalists, que são os criptoinvestidores que consideram somente o Bitcoin como ativo passível de investimento e que propagandeiam que as demais criptomoedas devam ser literalmente esquecidas.

O que torna uma criptomoeda ilíquida? 

Aqueles que acumulam grandes quantidades de uma criptomoeda a torna ilíquida. Isso ocorre porque um comerciante que compra ou vende grandes quantidades desse ativo influencia muito o preço e o valor das moedas restantes. A maioria das criptomoedas é armazenada por traders que deixam o mínimo de moedas disponíveis para negociação nas exchanges.

Outro ponto a se considerar é natureza econômica de cada criptomoeda. Há uma estrutura de taxas e regras ligeiramente diferentes sobre como a moeda pode ser negociada, impactando o fluxo de capital naquele ativo. Isso significa que, ao comparar um criptoativo com outro, pode haver alguns problemas de falta de liquidez e diferenças nas taxas.

A baixa liquidez de novas criptomoedas é frequentemente causada pelo fato de ninguém negociar com elas, ou elas não foram listadas em grandes exchanges.

Como calcular a liquidez de uma criptomoeda

Uma maneira de calcular a liquidez: o volume de negociação por dia dividido pelo valor do token. Consideremos o Bitcoin: a capitalização de mercado é de US$172.731.386.941 e o volume de negociação em 24 horas é de cerca de US$ 14 bilhões. Para estimar a liquidez, é importante levar em consideração pelo menos duas coisas: capitalização e valor de mercado.

Dividimos o volume de negociação por dia pelo valor da moeda (US$ 9.367, no instante dessa redação) para determinar a demanda da moeda. Temos 1.537.745 Bitcoin. 

Pode-se portanto usar esses dados para compará-los com outras altcoins ou para ver como a liquidez mudou nos últimos meses.

LEIA MAIS