O USM.world (Native Token: Radio Caca, $RACA) anunciou o lançamento do Metacasa, um metaveso 2D no estilo play-to-earn, no qual qualquer NFT PFP, como BYAC, Moonbirds, CryptoPunks, CryptoRasta, entre outros, pode ser usado como um avatar no game.

A aplicação, que adota um modelo de perspectiva Flat, Side-View, é a primeira do mercado de criptomoedas a oferecer umas espécie de padrão no qual qualquer NFT pode ser usado como um avatar, sem a necessidade de comprar um NFT específico para o game ou usar um token nativo para ter acesso a aplicação.

Segundo informou o USM.world uma versão de testes do Metacasa já pode ser acessada por qualquer NFT/avatar, no entanto, a versão é uma demo e, em breve os desenvolvedores devem anunciar a data de lançamento para a versão final, bem como como irá funcionar o sistema de lands, móveis, decorações e desenvolvimento externo no metaverso.

Ainda de acordo com a equipe, o Metacasa é parte do ecossistema do USM.word e, portanto, com o desenvolvimento do game e lançamento da versão final ele deverá ser integrado com os outros produtos do ecossistema, como Metamon e o metaverso 3D o USM.

"Acreditamos que no futuro muitos usuários da Web3 terão NFTs blue-chip como eles detêm Bitcoin e Ethereum. Eles não apenas os manterão, mas também desejarão agregar valor aos seus NFTs blue-chip agrupando ativos complementares. Como as NFTs podem fazer parte da identidade de uma pessoa, queremos que todas as NFT blue-chip possuam uma terra, uma casa e até um carro no Metaverso", destacou o time do USM.

A equipe destaca que o Metacasa deve atuar não apenas como uma forma de entretenimento mas como um verdadeiro mundo digital que atue também como uma 'wallet' em 2D para os NFTs.

"Ouro, diamantes, casas e carros costumavam fazer parte da herança de alguém, mas isso não é mais o caso. Agora, as heranças serão compostas por Bitcoin, Ethereum e conjuntos de NFTs que vêm com histórias, enredos, identidades e histórias. E com tudo isso, vestígios de vida. Acreditamos que a geração mais jovem, esta geração, investirá mais em seus animais de estimação virtuais e avatares, já que não há nada para eles investirem na vida real. No mundo virtual, há uma chance de crescer e florescer. Possuir e ter algo que diga ao mundo que este NFT é verdadeiramente e somente seu. É por isso que eles vão comprar uma casa para seu avatar, porque é uma extensão deles mesmos", afirmou a equipe.

Ainda segundo a equipe, detalhes como o tokenomics do metaverso, assim como realizar a integração de todos os NFTs PFP serão anunciados em breve.

USP

Recentemente a Universidade de São Paulo anunciou nesta sexta, 27, que firmou uma parceria com o United States of Mars, USM. A parceria é um acordo de cooperação internacional que pretende fomentar pesquisas sobre aplicações e aspectos técnicos, econômicos e legais do Metaverso.

Como parte da parceria a USP recebeu um terreno no USM metaverso, como um NFT e, segundo o professor da USP, Marcos A. Simplicio Jr., esta é a primeira vez que a USP recebe um NFT como parte de seu patrimônio. Ainda de acordo com o professor, a USP pretende construir diferentes espaços para interação com e entre usuários (alunos, professores, pesquisadores, visitantes, etc).

A instituição revelou que a parceria se dará inicialmente em colaboração com pesquisadores de convênio já firmado, o University Blockchain Research Initiative (UBRI), que é patrocinado pela empresa Ripple e tem sede na Escola Politécnica.

Segundo a USP a instituição planeja realizar pesquisas no metaverso em  diferentes áreas e destaca como exemplo pesquisas nas áreas de educação e psicologia que podem avaliar o aprendizado e comportamento em aulas e interações realizadas nesse ambiente.

LEIA MAIS