O cenário de finanças descentralizadas (DeFi) está mudando rapidamente dia após dia. Em 1º de setembro, o UMA superou o yearn.finance como o maior protocolo DeFi na rede Ethereum, com uma capitalização de mercado de US$ 1,3 bilhão.

Dados do CoinMarketCap mostram que seis projetos DeFi estão agora acima de US$ 500 milhões em marketcap. Os seis projetos são: UMA, yearn.finance, Aave, Maker, Synthetix e Compound.

Tokens DeFi no CoinMarketCap por capitalização de mercado. Fonte: CoinMarketCap.com

Porém, se o UMA pode ser descrito como um protocolo DeFi é algo incerto, e isso depende da perspectiva.

O que é o UMA e como compará-lo com projetos DeFi como o yearn.finance?

De acordo com os documentos oficiais da UMA, o projeto cria uma "infraestrutura de código aberto para contratos financeiros 'não-precificados' no Ethereum."

A infraestrutura da UMA é composta por duas partes principais: projetos de contratos financeiros de valor inestimável e Mecanismo de Verificação de Dados (DVM).

O primeiro permite que os usuários na plataforma criem tokens sintéticos. Já DVM é um serviço de oráculo descentralizado como Chainlink e Band.

Conceitualmente, o UMA está mais próxima de projetos oracle do que DeFi. No entanto, a UMA constrói infraestrutura para o setor DeFi, dada a importância dos oráculos para o DeFi. o UMA diz nos texto:

“Juntas, essas duas tecnologias permitem a criação de derivados sintéticos rápidos, eficientes e seguros no blockchain Ethereum. UMA está focada na construção de derivados "inestimáveis" no Ethereum. Esses contratos financeiros são concebidos para garantir a garantia adequada pelas contrapartes, sem o uso de um feed de preço em cadeia. ”

As plataformas DeFi na Ethereum e outras grandes redes blockchain não podem buscar dados públicos diretamente. Oráculos, como Chainlink, Band e o DVM da UMA, ajudam os protocolos DeFi a obter dados de mercado por meio de contratos inteligentes.

Conseqüentemente, muitos analistas consideram os projetos oracle como blockchains relacionadas às DeFi. O CoinMarketCap, por exemplo, lista Chainlink, UMA e Band Protocol, todos na categoria DeFi.

O UMA é diferente de plataformas como yearn.finance, no entanto, porque fornece a infraestrutura subjacente para protocolos DeFi que permitem serviços como staking.

Mercado DeFi em progresso

Um trader conhecido como “Hsaka” disse que a UMA tendo o maior pool de APY para o token SUSHI catalisou seu aumento. Mais do que isso, o trader destacou que os incentivos são importantes para o crescimento dos projetos relacionados ao DeFi. Ele disse:

“Portanto, o $UMA acabou de se tornar o token DeFi mais valioso. Não acho que ter o pool de APY mais alto do $SUSHI seja o único motivo, e sim um fator que contribuiu para isso. O fato de que isso ajudou a virar YFI, LEND, SNX, etc, dá uma ideia de como o incentivo pode ser poderoso agora. ”

Mais protocolos DeFi e projetos relacionados ao DeFi estão começando a colaborar uns com os outros, em vez de competir. Por exemplo, o yearn.finance disse:

“Para esclarecer, nada que construímos no yearn.finance é competitivo. É colaborativo. Por exemplo, um elemento importante não listado no artigo do anúncio é como os eventos do cisne negro são tratados; Underwriter: Nexus Mutual. Ressegurador: Nexus Mutual. Juntos somos mais fortes. ”

Seguindo o aumento da popularidade dos protocolos DeFi, as principais exchanges estão começando a listar mais tokens. Em 1º de setembro, Binance, Huobi e OKEx listaram o SUSHI.