Na última semana, cobrimos as oscilações selvagens que as criptomoedas passaram em função da eclosão da guerra entre Ucrânia e Rússia, invasão para sermos mais claros.

Especificamente, destacamos as quantidades impressionantes de volume sendo negociado nas exchanges e fraqueza do Bitcoin em se descolar dos ativos financeiros globais e cair e voltar a subir juntos com estes. Isso levou a uma queda nas ações e criptomoedas, enquanto o dólar americano ganhou valor em relação a outras moedas.

Fonte: ITB

A entrada de criptomoedas em exchanges pode sinalizar pressão de venda, enquanto as retiradas apontam potencialmente para acumulação. Mais de meio bilhão de dólares em Bitcoin deixou exchanges centralizadas. As taxas semanais do Bitcoin caíram para o menor nível desde 2020. Por sua vez, as taxas de rede da Ethereum permaneceram relativamente altas em torno de US$ 160 milhões.

Correlações crescentes 

Depois de cair ao longo do início de fevereiro, as correlações entre os índices de ações e o Bitcoin subiram seguindo a situação na Ucrânia.

Eventos de risco como esses tendem a causar pânico para investidores de ações e criptomoedas. Desta vez, o dólar (DXY) saltou para o mais alto desde junho de 2020, levando a fortes correlações negativas em relação ao Bitcoin.

À medida que a volatilidade crescia, os mercados de criptomoedas negociavam centenas de bilhões em um dia, apenas por swaps perpétuos de Bitcoin.

Fonte: ITB

O volume de negociação de swaps perpétuos de Bitcoin atingiu uma alta de US $ 130 bilhões na quinta-feira, a maior em 3 meses.

A atividade comercial acelerou à noite (horário dos EUA) quando a invasão e o bombardeio da Ucrânia começaram.

Na última quarta-feira à noite e quinta-feira à tarde mostraram um forte contraste no sentimento dos traders, pânico se instalou e vendas massivas se sucederam em todos os mercados, somente o ouro, apresentou negociação positiva. Mais uma vez o Bitcoin foi colocado à prova, como reserva de valor e ativo anti-crise e não passou no teste imediatamente. 

Fonte: ITB

Pânico atingiu primeiro 

O medo de uma guerra mais profunda reinou durante a noite, levando a maioria das negociações em Bitcoin sendo realizadas por ordens de mercado dos vendedores.

O indicador Trades per Side mostra o volume de ordens de mercado no lado da compra e no lado da venda.

Os tomadores de mercado mostram maior urgência (e pagam taxas mais altas) para comprar pelo preço de venda ou vender a qualquer lance.

Nesse caso, os pedidos de venda aumentaram rapidamente por volta das 22h (EST) quando a invasão começou.

Guerra entre Rússia e Ucrânia pode agravar crise global e afetar todos os países e todos os ativos, incluindo o Bitcoin

Isso destaca o medo dos investidores de criptomoedas no momento em que a grande maioria do volume se originou de ordens de venda de mercado.

No entanto, a imagem mudou completamente quando os mercados de ações americanos abriram.

 

Fonte: ITB

Muitos temiam o pior com uma potencial escalada de conflito dos países ocidentais, enviando tropas para guerrear do lado da Ucrânia, algo que não acontecerá, deixando a Ucrânia sozinha no conflito.

Os mercados subiram fortemente com o Bitcoin revertendo uma queda de 8% em um ganho de 3% durante a quinta-feira. As ordens de compra assumiram o controle à medida que o impulso mudou rapidamente.

Isso destaca um forte contraste entre os mercados e a guerra na Ucrânia. No geral, mostra que, embora o medo tenha assumido brevemente, a ganância ainda domina as emoções dos traders do mercado.