A entidade por trás das misteriosas transações na rede Ethereum da semana passada, que incluíram até US$ 2,5 milhões em taxas de GAS, pode ser a enchange especializada em operações peer-to-peer (P2P) sul-coreana Good Cycle.

A empresa de análise e segurança de blockchain PeckShield apontou para Good Cycle como responsável pela transação, acrescentando que a exchange parece ser um esquema Ponzi sujeito a invasões por conter várias falhas de segurança, incluindo o uso de HTTP em vez do HTTPS.

Em seu site, a plataforma de negociação sul-coreana confirma que sofreu hacks "repetidos", e os dados de blockchain mostram que a exchange enviou duas transações para os pools de mineração que receberam as taxas de GAS, Ethermine e SparkPool, com uma mensagem dizendo "Eu sou o remetente".

Vários clientes da Good Cycle na Coreia do Sul reportaram o problema das taxas, inclusive no perfil da PeckShield. Um dos pesquisadores da PeckShield, realizou uma operação para mostrar que depósitos eram creditados com valores muito mais altos que o comum.

Imagem: https://twitter.com/chiachih_wu

Outro ponto controverso que comprovaria que a Good Cycle é um grande esquema Ponzi foi relatado por outro internauta, com 14 endereços ligados a criptomoedas e esquemas fraudulentos que estariam diretamente ligados à Good Cycle.

Imagem: https://twitter.com/ewnfkl

Cada um dos pools de mineração minerou um bloco com uma das transações contendo os US$ 2,5 milhões. Ambos esperaram o remetente entrar em contato e, em 15 de junho, a Ethermine distribuiu as taxas aos seus mineiradores.

Já o prazo do SparkPool era maior e o Good Cycle entrou em contato com eles antes do término. Não está claro qual será a reação da SparkPool.

A SparkPool já esteve estranhamente envolvida em situação semelhante antes, quando minerou uma transação com uma taxa de gás de US$ 300.000 anexada a ela. No final, a exchange dividiu a taxa com o remetente.

LEIA MAIS