O número de transações na rede Ethereum mais do que dobrou em 2020 e agora é virtualmente idêntico ao recorde histórico de janeiro de 2018.

Conforme mostrado no gráfico abaixo, o número de transações dobrou nos últimos seis meses, ficando em 1,23 milhão por dia.

Média de transações diárias de 7 dias na blockchain Ethereum. Fonte: CoinMetrics

Esta situação pode parecer muito otimista no início, mas é preciso lembrar que tanto EOS quanto Tron (TRX) começaram como tokens ERC-20 antes de lançar sua própria mainnet e executar blockchains totalmente independentes.

Uma migração de cadeia semelhante está acontecendo no USDT da Tether, uma stablecoin que recentemente garantiu uma capitalização de mercado de US$ 12 bilhões.

O Tether foi criado sob o protocolo OMNI, que roda na rede Bitcoin e a maioria dos tokens USDT foram movidos para a rede Ethereum para evitar o aumento das taxas de transação do Bitcoin (BTC). 

Taxa de transação média de 7 dias da Ethereum. Fonte: BitInfoCharts

À medida que as taxas da Ethereum aumentaram ao longo de 2019, um movimento semelhante aconteceu no ano passado, quando alguns titulares de Tether (USDT) optaram pela rede Tron.

Isso ocorreu enquanto as taxas de transação médias na Ethereum aumentaram três vezes, para US$ 0,14 em julho de 2019, embora isso pareça insignificante em comparação com os US$ 3 atuais.

Balanço atual do Tether USDT. Fonte: Tether

A rede Tron atualmente detém metade do valor do USDT sob o ERC-20 e provavelmente aumentará sua participação, considerando as recentes taxas de rede Ethereum.

Para efeito de comparação, o USD Tether era dominado pela Omni em agosto de 2019, enquanto o Tron representava menos de 3% de sua capitalização de mercado.

Balanço do Tether USDT em agosto de 2019. Fonte: Tether

Vale destacar que o USDT está circulando atualmente nas redes EOS, Liquid, Algorand e Bitcoin Cash SLP, embora em uma escala muito menor.

As redes baseadas em Ethereum podem sobreviver ao aumento das taxas de transação?

Para avaliar melhor as chances de saída adicional do ecossistema Ethereum, deve-se analisar que tipo de transações estão ocorrendo. Stablecoins, por exemplo, têm menos incentivos para negociação durante períodos de restrição da rede.

Por outro lado, alternar redes em aplicativos DeFi, como Maker (MKR) e Compound (COMP), parece menos óbvio.

As plataformas de contratos inteligentes concorrentes têm suas desvantagens e um ecossistema muito menor, conforme relatado pelo Cointelegraph.

Principais tokens Ethereum ativos semanais. Fonte: Etherscan

Os dados do Etherscan mostram o uso crescente de aplicativos de Finanças Descentralizadas (DeFi) na rede Ethereum, mas quão sustentáveis são esses números considerando os níveis de taxas atuais?

Os dados do DefiPulse mostram que o valor total bloqueado no DeFi cresceu impressionantemente cinco vezes nos últimos 90 dias. Embora isso seja surpreendente, exatamente quantas dessas transações Ethereum estão relacionadas a este número?

 

Quantidade de transações do Yearn.finance (YFI). Fonte: Etherscan

De acordo com os dados do Etherscan, o token Yearn.finance (YFI) teve uma média diária de 3.400 transações na semana passada, com 15.700 transferências de token.

Considerando seu preço de US$ 5.175 naquele período, cada transferência valia em média US$ 23.900, o que significa que um aumento de US$ 3 na taxa não deveria ser um impedimento.

Para verificar se YFI é um outlier, deve-se analisar o Synthetix Network Token (SNX), outro token DeFi entre os 20 mais ativos na Ethereum.

Quantidade de transações do Synthetix Network Token (SNX). Fonte: Etherscan

De acordo com o gráfico acima, o SNX teve em média 2.800 transações diárias na semana passada com 8,3 milhões de transferências de token. Considerando seu preço de US$ 4,70 naquele período, cada transferência valia em média US$ 13.900. Esta é mais uma indicação de que nenhum impacto exagerado foi causado pelo aumento das taxas de rede Ethereum.

E os 'oráculos'?

O Chainlink (LINK) é o maior token com o objetivo de fornecer soluções de "oráculo" e, apesar de ser interoperável em várias cadeias, é de fato um token Ethereum ERC-20.

Seu uso crescente parece estar por trás de um aumento impressionante de 88% em duas semanas, conforme relatado pelo Cointelegraph.

Quantidade de transações do Chainlink (LINK). Fonte: Etherscan

O LINK teve em média 35.000 transações diárias na semana passada e 34 milhões de transferências de token. Considerando seu preço de US$ 13,40 naquele período, cada transferência valia em média US$ 13.000.

Esta análise é outro indicador positivo de que, apesar do recente aumento das taxas da rede Ethereum, alguns dos principais "oráculos" e aplicativos DeFi serão capazes de suportá-la, pelo menos momentaneamente.

Nem todo contrato inteligente pode prosperar com as taxas atuais

As taxas crescentes da rede Ethereum têm acelerado o desenvolvimento de soluções de segunda camada em alguns aplicativos DeFi.

Embora o impacto geral para a Ethereum possa ser positivo, pois pode impedir a migração de aplicativos para redes concorrentes, certamente não é um bom quadro para os investidores e o público em geral.

O desenvolvimento da Ethereum 2.0 está sob imensa pressão para fornecer uma rede que seja capaz de atender à demanda crescente de stablecoins, "oráculos", exchanges descentralizadas e DeFi.

A pergunta mais importante a se fazer agora é: os atuais proprietários de Ether (ETH) e os desenvolvedores de rede se adaptarão às restrições atuais?

A resposta para isso pode depender do que as redes de criptomoedas concorrentes podem oferecer, portanto, além de rastrear o preço do Ether, os investidores sábios também devem monitorar a atividade da rede de perto.

As visões e opiniões expressas aqui são exclusivamente do autor e não refletem necessariamente as visões do Cointelegraph. Todo movimento de investimento e negociação envolve risco. Você deve conduzir sua própria pesquisa ao tomar uma decisão.