Imagine-se nesta situação: seu pai é dono de uma fortuna de 11 bilhões de reais e, por segurança, nunca contou a ninguem a senha dele para acessar essa quantia. E se, de um dia para o outro, ele morre e leva junto esse segredo que mais ninguem sabe? 

O pai representado nessa história é um dos pioneiros das criptomoedas, Mircea Popescu, que morreu afogado e levou esse segredo: as senhas da sua carteira de criptomoedas com toda a sua fortuna.

A morte do magnata de 41 anos aconteceu no dia 23 de junho, mas o assunto só ganhou notoriedade agora.

O romeno faleceu após ser carregado por uma correnteza em Playa Hermosa, na Costa Rica. Com a morte, os cerca de R$ 11 bilhões podem ter se perdidos para sempre, caso ninguém tenha a senha e a quantia não seja mais acessada.

Nas comunidades de Bitcoin, Pepescu mantinha uma reputação considerada tóxica, além de provocadora, por causa de suas controvérsias.

Ele era amado e odiado. E ganhou fama, entre outros fatos, por ter ajudado a criar o livro Bitcoin Standard, considerado uma obra importante para entender as criptomoedas.

No Twitter, que já não pode mais ser visitado, ele escreveru:

“Para que qualquer parte de um governo discuta qualquer questão relacionada ao bitcoin, esse governo terá que reconhecê-lo primeiro”.

Até agora, ainda não se sabe se ele tinha contado o tão desejado segredo, sobre a senha da sa carteira de bitcoins, para algum parente ou amigo.

Leia também: