Os investidores de Bitcoin, que seguraram suas moedas, não poderiam estar mais felizes com relação ao preço do BTC que em menos de 3 meses passou da faixa dos US$ 10 mil para mais de US$ 52 mil.

Porém, enquanto analistas apontam que a principal criptomoeda do mercado pode facilmente passar de US$ 100 mil em abril, outros apontam que indicadores sinalizam um período de correção e consolidação que não deve promover um salto no preço do BTC acima de US$ 60 mil.

No entanto, enquanto os gráficos no preço do BTC apresentam sinais mistos, economistas como George Wachsmann, CIO da Vitreo, declaram que o Urânio, que já subiu mais de 110%, pode ser um opção para os investidores que desejam uma alternativa aos criptoativos e mesmo ao mercado tradicional.

Wachsmann aponta que o Urânio é a 'bola da vez' e que ele deve mudar o mundo com o seu uso.

"Ele representa um grande avanço tecnológico, que tem tudo para mudar o mundo nos próximos dez anos”, disse ao portal Seu Dinheiro.

Urânio

A previsão de Wachsmann para o grande 'boom' no preço do metal é baseada no aumento do seu uso no setor elétrico.

E ele não está sozinho em suas previsões já que duas das pessoas mais ricas do mundo, Bill Gates e Elon Musk já anunciaram planos de utilizar o metal para ampliar a oferta energética na Terra (e possivelmente em Marte).

Assim, enquanto Gates fundou a TerraPower, voltada em trazer mais segurança na geração de energia nuclear, o dono da Tesla declarou que o consumo de energia proveniente do urânio vai dobrar nos próximos anos.

O brasileiro João Piccioni, especialista em investimentos em ativos internacionais, também está otimista com o metal.

Segundo ele, o urânio movimenta toda uma cadeia de produção e de empresas que se beneficiam de sua energia, portanto, não estamos falando apenas de um ativo, mas, como o Bitcoin, de um ecossistema.

“O mercado de urânio tem grandes possibilidades de continuar crescendo nos próximos anos, principalmente pela construção de novas usinas — que estão, em sua maioria, sendo desenvolvidas nos países em desenvolvimento como China e Índia”, explica.

Urânio também é escasso

Além disso, assim como o Bitcoin, o urânio também é um ativo escasso e seu fornecimento é estimado em 6.147.800 toneladas, porém, de todo o urânio minerado 99,3% é do tipo (ou “isótopo”) 238 e somente 0,7% restante é urânio 235, que é o que pode ser usado para geração de energia e para a construção de bombas atômicas.

“Tudo isso mostra que o urânio traz alguns trunfos ao investidor: a demanda é recorrente e é um mineral escasso na Terra, o que pode entregar altas exponenciais no longo prazo”, completa Wachsmann.

Desta forma o gestor de recursos na L2 Capital, Marcelo López, destaca que já há um déficit entre a produção e o consumo e que isso deve aumentar ainda mais com o avanço dos anos e com a demanda mundial por novas fontes de energia para além do petróleo.

"Confesso que nunca vi uma oportunidade de investimento tão boa assim. Observo um enorme desequilíbrio, com demanda robusta e crescente, redução sistemática na oferta e um preço inferior à metade do custo de produção. Somado a isso, o comprador final é praticamente insensível ao custo da commodity, já que o urânio responde por menos de 5% do custo operacional de um reator nuclear convencional", disse.

Bitcoin ou urânio

No Brasil a Vitreo lançou recentemente um fundo que oferece exposição ao metal considerado promissor, chamado de Vitreo Urânio, o fundo registra cerca de 9% de valorização no mês e 'compete' em rentabilidade com os fundos brasileiros, inclusive os da Vitreo, com exposição em criptoativos.

No entanto, também há riscos já que a produção de urânio para geração de energia não é um processo simples e envolve um processo chamado 'enriquecimento de urânio'.

Isso é feito em usinas nucleares em ultracentrífugas instaladas em forma de cascatas, nesses equipamentos o gás hexafluoreto de urânio (UF6) é submetido a velocidades extremamente altas, separando os isótopos mais leves (urânio–235) dos mais pesados (urânio–238).

Isso faz com que a concentração do isótopo mais leve (urânio-235) passe de 0,7%, como é encontrado na natureza, para até 5%. 

No entanto, o processo de enriquecimento de urânio é totalmente controlado por governos já que se o processo de enriquecimento for aumentado para 20% (o que não é uma tarefa simples) é possível usar o urânio enriquecido na fabricação de bombas atômicas.

Portanto, o processo de enriquecimento de urânio é parte de uma das maiores disputas geopolíticas do mundo e inclusive determina os assentos permanentes no Conselho de Segurança da ONU.

Confira a rentabilidade dos fundos com exposição em criptoativos e do fundo da Vitreo em Urânio.

FUNDONO MÊSNO ANO
VITREO URANIO FIM9,69%-
QR BLOCKCHAIN ASSETS FIM IE22,11%69,35%
QR BTC MAX FIM IE28,09%68,31%
VTR QR CRIPTO FIM IE22,70%70,17%
VITREO CRIPTOMOEDAS FIC FIM INVESTIMENTIMENTO EXTERIOR22,44%69,09%
VITREO CRIPTO METALS BLEND FIC FIM1,80%11,26%
HASHDEX CRIPTOATIVOS II FIM10,50%31,31%
HASHDEX BITCOIN I FIM IE26,79%74,85%
HASHDEX CRIPTOATIVOS I FIM5,57%15,52%
HASHDEX CRIPTOATIVOS DISCOVERY FIC FIM5,62%15,58%
HASHDEX CRIPTOATIVOS EXPLORER FIC FIM10,55%31,41%
HASHDEX CRIPTOATIVOS VOYAGER FIM IE26,09%80,83%
HASHDEX BITCOIN FULL 100 FIC FIM IE26,75%74,33%
HASHDEX OURO BITCOIN RISK PARITY FIC FIM11,05%10,13%
BLP CRIPTOATIVOS FIM-0,50%6,76%
BLP CRYPTO ASSETS FIM IE-1,69%35,73%
CDI (Benchmark)0,08%0,23%

LEIA MAIS