Diversas empresas estão com novidades no mercado de criptomoedas no Brasil, entre elas a Nuvei, que após aquisição da brasileira Paymentez, em setembro de 2021, anunciou a ampliação de seus serviços para empresas nacionais, inclusive exchange de Bitcoin e criptomodas.

Antes da aquisição da Paymentez, a Nuvei tinha uma presença limitada na América Latina. O intuito é crescer, expandindo a presença num mercado com grande potencial, oferecendo soluções para pagamentos personalizadas para variadas verticais de negócios como turismo (hospitalidade), mobilidade (transporte), digital, varejo, jogos e criptomoedas.

“A operação no Brasil envolve a oferta aos clientes de soluções de pagamento com cerca de 30 opções distintas: dinheiro, boleto, transferência bancária, PIX, pagamentos por aplicativos, vouchers e carteiras virtuais, só para citar alguns exemplos”, explica Rafael Lavezzo, vice-presidente comercial da Nuvei.

Outra novidade vem da BrDot, startup de mineração de criptomoedas na Rede Helium. A empresa anunciou que recebeu a homologação da Anatel para distribuir os gateways SenseCAP da Seeed Studio no Brasil. 

Por meio dela, é possível instalar e operar a baixos custos, redes de IoT (Internet das Coisas/Internet of Things) para diversos setores, com transmissão de dados e informações a longas distâncias, que podem ser personalizadas e aplicadas no agronegócio, em cidades e prédios inteligentes, dentre outras soluções.

A tecnologia dos dispositivos e serviços da BrDot aliados ao LNS (LoRaWAN Network Server) possibilitam capturar informações, processá-las e transmiti-las para a Helium

"Com isso, no dia a dia, permite o desenvolvimento de soluções que  podem desde localizar onde está um pet em tempo real, quanto monitorar caminhões de carga ou carros, controlar o nível de CO2 em uma máquina, ou então o consumo de energia, água e gás. Isso faz possível adotar soluções preditivas de menor custo e maior segurança e evitar perdas ou sinistros, por meio de pequenos sensores e uma conectividade estável, além de fazer a mineração de criptomoedas da Rede Helium, uma rede sem fio, descentralizada e baseada em blockchain", destaca a empresa.

BlueBenx e CoinEx

Já a BlueBenx anunciou uma parceria com a Fireblocks com o objetivo de aprimorar os processos de segurança para as criptomoedas em sua plataforma. Ao todo, a BlueBenx está investindo mais de R$ 2 milhões no processo.

A Fireblocks é uma plataforma de custódia que garante a guarda de ativos, trata-se de uma empresa certificada internacionalmente e testada pela ComSec and NCC Group.

“A BlueBenx é uma empresa que está crescendo no mercado e com a internacionalização da marca vamos investir, cada vez mais, em segurança digital para que os nossos clientes realizem suas operações com tranquilidade”, afirma Marcos Issler, Head de Blockchain da BlueBenx.

Por outro lado, a CoinEx anunciou seu apoio e parceria com o projeto Mano Satoshi, idealizado por Vinicius Velasques que tem como missão erradicar o ciclo de pobreza e a desigualdade social enfrentadas por quem nasceu e vive em comunidades carentes no país.

A iniciativa pretende visitar comunidades semanalmente e oferecer educação financeira, por meio de palestras gratuitas de empreendedorismo, criptomoedas, Web3, blockchain, NFT’s e investimentos.

“O objetivo é tornar acessível e clara as informações sobre como ingressar, facilitar a transição dos profissionais que estão saindo da web2 e entrando na web3, e descentralizar a inserção nesse mercado de trabalho que sente a falta de mão de obra.” Marcos Lustosa Co-fundador da 12web3

Seu primeiro evento online e gratuito totalmente focado no mercado de trabalho dentro da web3, foi através de lives no canal no youtube, onde receberam diversos nomes do mercado como Sabrina Coin (Influencer e jornalista cripto), Hello Passos (Co-fundadora da Sp4ce Games) e Andressa Alexandre (Desenvolvedora e Co-fundadora da Nox Bitcoin.

Curso de Certificação Profissional em Criptomoedas

O aplicativo de investimentos Monett e a Escola de Gestão da Galícia Educação se uniram para oferecer uma Certificação Profissional em Criptomoedas, com formação completa para investidores profissionais e iniciantes.

Com inscrições abertas, o curso terá 30 horas de duração e oferecerá temas diversificados dentro do universo cripto, como Blockchain, NFT e Bitcoins, entre outros. Para Olivia Alonso, CEO da Monett, a parceria segue em linha com a estratégia da Monett de oferecer conteúdo didático e relevante aos investidores.

“Sentimos a demanda dos nossos assinantes em ter um curso profissional e obter um certificado em criptoativos. Além de atender essa necessidade, preparamos o investidor e oferecemos educação financeira especializada e qualificada”.

Os atuais assinantes da Monett têm acesso liberado a 30% do conteúdo do curso, que será oferecido por meio de nove aulas disponibilizadas dentro do aplicativo da Monett. Para saber mais sobre o curso os interessados podem acessar o link.

LEIA MAIS