Mais conhecido como por seu trabalho como diretor musical de Maria Bethânia por 28 anos, o instrumentista, arranjador e maestro Jaime Alem anunciou sua entrada no universo das criptomoedas com o lançamento de NFTs exclusivos na plataforma kickoff. Os NFTs foram mintados na blockchain da Hathor.

O músico lançou recentemente 5 NFTs com 10 cópias cada, contendo mp4, certificado de blockchain, 3 fonogramas inéditos da dupla Jaime e Nair gravados em 1979, vídeos com fotos exclusivas e registros de época. Os 10 maiores lances no leilão garantem ainda um exemplar do vinil original autografado e participam de uma live de lançamento com Jaime e Nair.

“Os streamings são fato consumado e a novidade dos NFTs é muito bem vinda, pois abre uma porta direta para os fãs terem acesso a um material de áudio e vídeo inédito e exclusivo - podemos dizer histórico -- incluindo músicas que não entraram no LP de 1979. É tudo muito novo, mas temos uma boa expectativa, principalmente porque esperamos obter o suficiente para financiar o próximo disco de Jaime e Nair”, pontua  Jaime Alem

O maestro, que tem em seu currículo álbuns e concertos com artistas como Elba Ramalho, Alcione, Rita Benneditto, Sueli Costa, João Fenix, Joyce Moreno, Marcel Powell, além do encontro de Maria Bethânia com Zeca Pagodinho em “De Santo Amaro a Xerém”.

Culte cria token do agronegócio

Depois de passar por programas de aceleração, como Inovativa Brasil e LIFT Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas do Banco Central e da Fenasbac, a Culte anunciou o lançamento oficial da cultecoin (CULTE). A cultecoin é um token de utilidade BEP-20, baseado na Binance Smart Chain e será lançado na Exchange descentralizada (DEX) PancakeSwap. 

Em um primeiro momento, a função da cultecoin será intermediar negociações dentro do marketplace da Culte, facilitando o pagamento por taxas, produtos e serviços, além da possibilidade de ser utilizado como uma reserva de liquidez para os pequenos agricultores.

Futuramente, os fundadores esperam que a blockchain da cultecoin seja capaz de rastrear a origem dos produtos do produtor ao consumidor final e que a cripto seja utilizada como moeda corrente da plataforma da empresa.

“Nosso objetivo é promover crescimento econômico inclusivo, sustentável e livre de intermediários, dar visibilidade ao pequeno agricultor familiar e levar acesso a novas tecnologias e treinamentos ao campo”, explica Cláudio Rugeri, CEO da Culte.

Nos últimos 12 meses, a startup recebeu mais de R$ 15 milhões em solicitações de empréstimos, sendo que 70% dos agricultores que solicitaram nunca tiveram acesso a crédito. Hoje, a startup está presente em 20 estados brasileiros, reunindo mais de dois mil pequenos agricultores; destes, mais de 30% são mulheres.

Os números sobre o agronegócio familiar brasileiro traduzem tanto as necessidades de apoio ao setor quanto as oportunidades que nele residem. O agronegócio é responsável por 21,1% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil - o que significa que mais de um quinto de tudo o que é gerado no Brasil sai da agricultura. E, desse total, cerca de 25% é proveniente da agricultura familiar, ou seja, 5% do PIB brasileiro tem origem nas propriedades dos pequenos empreendedores rurais.

Esses números foram divulgados pelo secretário Nacional da Agricultura Familiar e Cooperativismo, Fernando Schwanke, em entrevista para a Revista Expoagro 2020 (na página 11). De acordo com ele, o Brasil possui 4,1 milhões de pequenos produtores, sendo que 84% de todas as propriedades rurais do país são de pequenos agricultores.

A Cultecoin permite a compra antecipada da produção destes pequenos agricultores, contribuindo para o crescimento da agricultura familiar.

“A ideia é possibilitar a conexão entre o produtor e empresas que estão precisando das mercadorias – como agroindústrias, cooperativas, hospitais, hotéis, restaurantes e outros estabelecimentos que necessitam de grandes volumes - para uma compra maior”, esclarece o executivo.

Novas ferramentas para traders na Bitget

A exchange global de criptomoedas, Bitget, que recentemente iniciou operações no Brasil, anunciou uma parceria estratégica com a IntoTheBlock, uma plataforma de inteligência de mercado para ajudar os usuários a navegar no mercado de criptomoedas e tomar decisões de investimento.

A IntoTheBlock fornece ferramentas dinâmicas e detalhadas de sinalização de trade e visualização de dados para todos os ativos digitais disponíveis na plataforma. Compreendendo uma série de indicadores, ferramentas e informações necessários para melhor entender e identificar tendências e padrões de ativos cripto.

"Com o IntoTheBlock, você pode facilmente ficar à frente do pacote e tomar as decisões de negociação mais informadas e bem planejadas", destacou a empresa.

Os dados on-chain disponibilizados pela Intotheblock podem ser acessados diretamente do painel de futuros de criptomoedas na Bitget.

LEIA MAIS