O Banco Central do Brasil negou a veracidade de uma notícia divulgada na quarta-feira no site Cision-PR Newswire de que a instituição acertara uma parceria com a KaJ Labs, uma firma especializada em soluções para tecnologia blockchain, para lançamento de uma versão de testes do Real Digital. A confirmação de que se tratava de uma notícia falsa foi divulgada pelo site BeIn Crypto na sexta-feira.

A notícia refutada pelo BC afirma que a versão de testes do Real Digital seria conduzida na blockchain da Lithosphere, uma plataforma cross-chain integrada a recursos de inteligência artificial e deep learning para operação de aplicativos descentralizados desenvolvida pela KaJ Labs:

"A Lithosphere contribuirá com recursos da tecnologia de razão distribuída (DLT), tokenizando os títulos e o token de pagamento no atacado com suas soluções personalizadas de interoperabilidade entre diferentes blockchains. Os testes a serem realizados junto ao Banco Central do Brasil irão explorar as duas formas de dinheiro tokenizado para liquidar debêntures e transações de títulos a serem emitidos, liquidados e compensados em uma blockchain permissionada."

Anteriormente, o Banco Central de fato divulgara planos para realizar os primeiros testes com o Real Digital já no ano que vem, com vistas ao lançamento oficial em 2024.

Na ocasião, Fábio Araújo, assessor econômico do Banco Central que coordena os estudos para a implantação do Real Digital, afirmou que a CBDC brasileira será o token nativo de um grande ecossistema de informação e tecnologia financeira que foi inaugurado com o Pix, terá seu crescimento com o Open Banking e alcançará a maturidade com a implantação do Real Digital.

Com o Real Digital, o Banco Central pretende fazer a ponte do sistema financeiro nacional com os novos recursos proporcionados pelos contratos inteligentes (smart contracts) e desenvolvidos por protocolos de finanças descentralizadas (DeFi) a partir da invenção do Bitcoin (BTC) e da tecnologia blockchain.

Embora venha realizando uma série de estudos para implantação do Real Digital, entre eles a criação de um sistema de pagamento que possa operar off-line, a integração de informações do mundo real à rede da CBDC brasileira, a permissão para que instituições bancárias emitam stablecoins, o Banco Central ainda não aununciou efetivamente quando em 2022 terão início os primeiros testes para digitalização da moeda corrente do país.

LEIA MAIS