Os investidores brasileiros 'gostaram' de perder dinheiro em 2021 já que os fundos multimercado preferidos dos investidores nacionais deram prejuízo enquanto os fundos com exposição em criptomoedas apresentaram retornos acima de 20%.

Assim, um estudo divulgado pela Big Data Smartbrain destacou as ações e fundos de investimento preferidos dos brasileiros em 2021.

Segundo a empresa, o levantamento é feito com base na plataforma de consolidação de investimentos da Smartbrain, que processa diariamente mais de 210 mil extratos de investimentos, somando mais de R$ 120 bilhões de patrimônio.

Nos sistemas da fintech são controladas carteiras de investidores dos segmentos do varejo (uma participação de 20,40%), alta renda (46,27%), private (29,34%) e ultra high (3,99%).

Como a maioria dos investidores analisados são atendidos por assessores, consultores e gestores de patrimônio, o levantamento acaba refletindo também o que foi mais indicado ou recomendado por esses profissionais no período.

Cenário interno e externo

Assim, segundo a empresa, o ano começou bem para a Bolsa brasileira, seguindo o movimento de dezembro, diante da comprovação da eficácia de vacinas contra a Covid-19, início da vacinação em alguns países e por conta do fluxo de estrangeiros em busca de oportunidades.

Na primeira semana de janeiro, o Ibovespa chegou a subir 5%, mas depois a situação se reverteu e o índice fechou o mês com uma queda de 3,32% aos 115 mil pontos.

"Isso porque os números de casos confirmados e mortes por Covid aumentaram por aqui e o país ainda detectou uma nova variante do coronavírus mais contagiosa, o que levou a medidas mais restritivas de atividades e circulação de pessoas em diversas regiões", destaca.

A empresa pontua ainda que outro ponto foi a baixa oferta de doses de vacinas e o ritmo lento da imunização no Brasil, sinalizando mais dificuldade para a retomada da economia. Neste cenário, também aumentou a preocupação com a dinâmica da dívida pública. 

Quanto ao exterior, o fato mais comentado foi nos Estados Unidos -  o short squeeze com ações da rede varejista de vídeo games GameStop, um movimento orquestrado por pequenos investidores no fórum Reddit, que causou perdas para fundos e investidores em Wall Street. 

Brasileiros investem em fundos que perderam dinheiro

Assim, o ânimo com uma retomada da economia levou os investidores nacionais a buscar uma exposição maior no mercado financeiro.

Contudo as principais escolhas dos brasileiros foi 'errada' já que todos os 10 fundos multimercado preteridos pelos investidores nacionais apresentaram resultado negativo.

O GAP ABSOLUTO FIC FIM, top 1 na preferência dos investidores nacionais, registrou -0,47, já o terceiro fundo mais requisitado pelos brasileiros, o OCCAM  EQUITY HEDGE FIC FIM teve -0,05 de prejuízo.

O mesmo cenário ocorreu com os demais preferidos como o PACIFICO MACRO FIC FIM -1,47; BAHIA AM MARAÚ ADVISORY FIC FIM -0,38; CLARITAS INSTITUCIONAL FIM -0,08; ABSOLUTE ALPHA GLOBAL FIC FIM -0,01; todos entre os mais requisitados pelos investidores nacionais.

Contudo, enquanto os fundos multimercado mais 'tradicionais' estão operando no vermelho, mesmo sendo os preferidos dos brasileiros, os fundos aprovados pela Comissão de Valores Mobiliários, CVM, com exposição em criptoativos têm sido os mais rentáveis do Brasil.

Segundo um levantamento do portal MaisRetorno dos 5 fundos multimercado mais rentáveis do Brasil em 2021, quatro são de criptomoedas.

 

 

 

Fundos com criptomoedas crescem no Brasil

Apesar de não serem os preferidos dos brasileiros, a rentabilidade dos fundos com exposição em criptoativos no Brasil tem atraído cada vez mais o interesse dos investidores nacionais.

Recentemente a gestora brasileira de criptoativos Hashdex foi a primeira, entre as empresas com exposição a criptoativos a chegar à expressiva marca de R$ 1 bilhão em ativos sob sua custódia.

Com 33 mil cotistas, a Hashdex é responsável por seis fundos de investimentos com exposição a criptomoedas, parte deles registrando os maiores lucros do mercado financeiro em 2020. O fundo com 100% de exposição em criptomoedas, o Voyager, teve valorização de 344% nos últimos 12 meses.

A gestora brasileira credita o bom desempenho nos últimos 12 meses à queda nas taxas de juros no Brasil e em outros países, que empurrou os investidores para novos ativos como o Bitcoin e as criptomoedas.

Além disso, a disparada histórica do Bitcoin, com crescimento de 400% no período, também favoreceu a entrada de novos investidores.

“Temos visto um grande amadurecimento do ecossistema global de cripto. Isso chamou a atenção dos investidores institucionais, que já estão mais confortáveis com este mercado, e também repercutiu de forma positiva entre os investidores que buscam melhorar o risco e retorno da carteira”, destacou Marcelo Sampaio, CEO e fundador da Hashdex.

Confira a rentabilidade de todos os fundos com criptoativos no Brasil

FUNDONO MÊSNO ANO3 MESES
QR BLOCKCHAIN ASSETS FIM IE19,94%66,34%146,24%
QR BTC MAX FIM IE27,58%67,64%198,61%
VITREO CRIPTOMOEDAS FIC FIM INVESTIMENTIMENTO EXTERIOR20,30%66,14%154,45%
VITREO CRIPTO METALS BLEND FIC FIM1,94%11,42%19,93%
VTR QR CRIPTO FIM IE20,53%67,16%157,30%
HASHDEX CRIPTOATIVOS DISCOVERY FIC FIM5,23%15,15%29,29%
HASHDEX CRIPTOATIVOS VOYAGER FIM IE23,86%77,64%201,77%
HASHDEX CRIPTOATIVOS I FIM5,18%15,09%29,18%
HASHDEX CRIPTOATIVOS EXPLORER FIC FIM1,44%20,57%51,12%
HASHDEX BITCOIN FULL 100 FIC FIM IE23,03%69,22%187,48%
HASHDEX BITCOIN I FIM IE23,07%69,72%194,06%
HASHDEX CRIPTOATIVOS II FIM9,73%30,40%63,42%
HASHDEX OURO BITCOIN RISK PARITY FIC FIM10,21%9,30%9,28%
BLP CRYPTO ASSETS FIM IE-0,79%36,98%133,68%
BLP CRIPTOATIVOS FIM-0,32%6,95%19,47%
CDI (Benchmark)0,06%0,21%0,48%

Fonte: Portal MaisRetorno

LEIA MAIS