O Banco Central do Brasil deu mais um passo para o lançamento, em fase de testes, do Real Digital dain em 2022 no país já que anunciou que o LIFT Challenge Real Digital já está recebendo propostas de projetos que tragam casos de uso para a versão digital do Real. A submissão de propostas pode ser feita exclusivamente pelo site e segue até 11 de fevereiro.

É "(...) clara a necessidade de se ponderar potenciais e riscos para as aplicações específicas [de CBDCs] a cada país. Dessa forma, para que possamos avançar com segurança, é necessário promover testes", afirma Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central.

Segundo o BC, a iniciativa de abrir para o mercado a possibilidade de apresentar projetos de casos de uso para o Real Digital tem como objetivo identificar as características fundamentais de uma infraestrutura para o Real Digital, que poderá dar suporte aos casos de usos apresentados que estejam maduros e que tragam valor para a sociedade brasileira.

"Padronização, interoperabilidade, reutilização de protocolos e composição de serviços financeiros – que são características trazidas pela programabilidade do Real Digital – podem fazer com que novos produtos financeiros cheguem mais rápido a um público mais amplo e operando com valores médios abaixo do que hoje é possível. Os potenciais de uso do Real Digital para promover a inclusão financeira são muito elevados", afirma Fabio Araujo, da Secretaria Executiva (Secre) do BC.

O BC destaca ainda que a iniciativa é voltada para empresas maduras que tenham a capacidade de implementação de um sistema com elevada complexidade como é o caso do Real Digital.

"Não se pode ignorar, contudo, o modelo de negócio que se pretende viabilizar sobre esse sistema. Empresas que apresentem apenas a capacidade para oferecer infraestrutura ou apenas a capacidade de oferecer um caso de uso para o Real Digital não estão no foco desse desafio", explica Fabio.

Real Digital

Ainda segundo o BC o público-alvo são participantes do mercado, reunindo um público qualificado de bancos e instituições de pagamentos, fintechs e empresas de tecnologia com interesse em desenvolver um produto minimamente viável (MVP do inglês minimum viable product) com base no Real Digital.

O BC destaca que as propostas encaminhadas, que deverão ser apresentadas conforme as regras definidas pela Coordenação do Comitê Executivo de Gestão, serão submetidas em duas fases.

  • • A submissão para a primeira fase deverá ser feita com a manifestação de interesse de participação na edição, informação do responsável pela proposta e e-mail de contato para fins de contato e desenvolvimento da comunicação ao longo do período de realização do LIFT Challenge.  
  • • A submissão para a segunda fase envolverá a descrição do projeto, da aceitação das condições do Lift Challenge Real Digital e de um vídeo contendo uma ideia geral do projeto e destacando os aspectos inovadores dele num total de até 5 minutos.  

Será dada a preferência para a seleção de projetos sobre as seguintes categorias de casos de uso em ambiente online: 

  • Entrega contra Pagamento (DvP da expressão em inglês delivery versus payment) voltado à liquidação de transações com ativos digitais, tanto nativos do ambiente digital quanto tokenizados; 
  • Pagamento contra Pagamento (PvP da expressão em inglês payment versus payment) voltado ao câmbio entre moedas; 
  • Internet das coisas (IoT da expressão em inglês internet of things) voltado à liquidação algorítmica ou diretamente entre máquinas;  
  • Finanças descentralizadas (DeFi da expressão em inglês decentralized finance) voltado à definição de protocolos com liquidação baseada em uma CBDC e tendo em vista requisitos de conformidade e supervisão estabelecidos em norma.

 

LEIA MAIS