De fato, o Bitcoin (BTC) funcionou muito bem como uma reserva de valor antes da crise do coronavírus, sugerem dados brutos.

Em uma discussão no Twitter em 1º de maio, Travis Kling, chefe do fundo de hedge de criptomoeda Ikigai, apresentou novas evidências de que, apesar da volatilidade, o Bitcoin preservou a riqueza de seus investidores.

BTC protege holders de “evento catastrófico”

Desde fevereiro, o BTC / USD apresentou retornos estáveis de 0,6%, disse Kling, suavizando qualquer dor aos "hodlers" provocadas por uma das implosões financeiras mais irritantes da história recente no mês passado.

"O preço do #Bitcoin aumentou 0,60% entre o final de fevereiro e o final de abril, em meio a um dos eventos econômicos mais catastróficos da história", resumiu. 

Uma reserva de valor.

A narrativa do Bitcoin como uma reserva de valor em seu estado atual passou por uma metamorfose desde o início de 2020.

Após o crash de março, a maior criptomoeda de fato viu períodos durante os quais foi menos volátil do que os mercados tradicionais, incluindo ações e petróleo.

Sinais de uma dissociação gradual dos movimentos dos preços de mercado reforçam ainda mais a perspectiva positiva do Bitcoin como uma ferramenta de preservação de riqueza a longo prazo. 

Ativos macro - retornos acumulados no ano. Fonte: Skew

CEO da Pantera: BTC “atingirá a maioridade” em 2020

Respondendo a Kling, o editor da Bloomberg, Joe Weisenthal, sustentou que o dólar americano era mais estável, apenas sofreu uma rápida queda.

Como Kling e o Cointelegraph observaram, a enorme inflação do dólar em relação ao Bitcoin logicamente não permite mais competir pelo título de reserva de valor.

A taxa de inflação do Bitcoin cairá para 1,8% em cerca de duas semanas, à medida que o halving se aproxima.

Enquanto isso, no acumulado do ano, os dados do recurso de monitoramento Skew confirmam que o Bitcoin é o melhor player de ativos macro, batendo ouro.

Sobre esse assunto, Dan Morehead, CEO da Pantera Capital, resumiu esta semana:

O Bitcoin nasceu em uma crise financeira. Chegará a maioridade neste ano.

Leia mais: