O número de investidores que detêm uma quantidade imensa de Bitcoin está começando a se aproximar dos níveis que a comunidade de criptomoedas não vê desde o rali da criptomoeda para US$ 20.000.

De acordo com o relatório 'The Week On-Chain' da Glassnode divulgado em 15 de junho, houve um crescimento constante no número de 'baleias' Bitcoin (BTC) - traders com 1000 BTC ou mais - desde janeiro de 2020. 

Fonte: Glassnode

O site de análise de criptomoeda disse que atualmente existem 1882 dessas 'baleias', números que rivalizam com os de setembro de 2017, quando o BTC estava começando a subir para US$ 20.000. No entanto, o mesmo número de 'baleias' detinha grandes quantidades de Bitcoin em março de 2016, quando o preço estava abaixo de US$ 420.

“O preço do BTC agora é 20 vezes mais alto do que quando vimos pela primeira vez tantas baleias, o que implica que mais baleias estão acumulando. No entanto, o saldo médio mantido por cada baleia diminuiu durante esse período, de modo que as baleias atualmente possuem menos BTC agora do que em 2016 e menos riqueza (em termos de dólares americanos) do que em 2017.”

Poder para movimentar mercados

O Cointelegraph informou em abril que muitas 'baleias' do Bitcoin são HODLers, não movendo ou retirando seus ativos digitais por até cinco anos, mesmo quando enfrentam uma correção significativa do mercado. Durante o banho de sangue cripto de 12 de março, quando o preço do BTC caiu para US$ 3.600, muitas 'baleias' não movimentaram seus fundos.

No entanto, as baleias ainda têm a capacidade de impactar significativamente o preço do BTC. Em 15 de junho, o preço da criptomoeda caiu abaixo de US$ 9.000 pela primeira vez em semanas, quando as 'baleias' BTC liquidaram US$ 30 milhões em longos na exchange BitMEX e venderam suas reservas em outras exchanges.

Leia mais: