As baleias do Bitcoin (BTC) - são indivíduos ou grupos que detêm grandes quantidades de Bitcoins e às vezes podem influenciar o mercado - podem ter sido manchete este mês, mas sua riqueza é distribuída de maneira mais uniforme em 2019 - o oposto das principais altcoins.

Essa foi uma das conclusões da pesquisa do Clovr, que analisou carteiras e transações de várias criptomoedas em novembro.

Requisito de propriedade majoritária do Bitcoin ainda é o melhor

Os resultados mostraram que a distribuição de riqueza do Bitcoin melhorou em relação a 2018, mas entre as principais altcoins por capitalização de mercado, as baleias estão controlando cada vez mais a oferta.

De acordo com a pesquisa, que excluiu carteiras conhecidas ou suspeitas de serem ligadas a exchanges, o coeficiente de Gini do Bitcoin - uma medida da distribuição de riqueza - caiu de 0,66 para 0,64 este ano.

Por outro lado, o Bitcoin Cash (BCH) aumentou sua classificação Gini de 0,73 para 0,75, enquanto a maior altcoin, Ether (ETH), passou de 0,69 para 0,78

Desigualdade de riqueza em criptomoedas. Fonte: BitInfoCharts, Clovr

Combinado com o menor número de contas necessárias para as baleias conspirarem para controlar a blockchain, as altcoins se mostram muito mais vulneráveis que o Bitcoin.

Para as baleias se agruparem e controlarem mais da metade do suprimento, o número mínimo de carteiras controladas para Bitcoin é 4.545.

Compare isso com o Ether, onde requer apenas 322, e o Bitcoin Cash, 1.109. O Litecoin (LTC), outra grande altcoin, pode ser encurralada em apenas 189 carteiras.

O Clovr usou os 10.000 endereços principais da carteira de cada criptomoeda, excluindo as carteiras de exchanges.

Pesquisadores: evite criptomoedas com valor de mercado abaixo de US$ 100 milhões

Além dos grandes players, a pesquisa também descobriu que a desigualdade de riqueza é muito mais grave entre os principais tokens da blockchain Ethereum, ou tokens ERC-20.

O principal deles foi o Huobi Pool Token (HPT), a moeda nativa do pool de mineração da Huobi, que possui um coeficiente de Gini de 0,99, onde 70% dos tokens pertencem a um único endereço.

No ERC-20, quanto menor o valor de mercado do token, maior o problema de desigualdade de riqueza.

“Se a riqueza centralizada o preocupa como investidor de criptomoeda, isso pode ajudar a evitar a compra de tokens com uma capitalização de mercado inferior a US$ 100 milhões”, recomendam os pesquisadores.

Conforme relatado pelo Cointelegraph, as principais transações continuam chamando a atenção dos analistas, principalmente aquelas cuja origem ou destino é desconhecido.

Os movimentos das baleias também podem impactar o mercado, como foi supostamente na semana passada, quando um dos maiores traders da Bitfinex pareceu "apoiar" o BTC / USD com uma transação no valor de 800 BTC (na época, US$ 5,7 milhões).