O Bitcoin (BTC) começa uma nova semana no limite superior de sua nova faixa de preço perto de US$ 12.000 - o mercado vai finalmente quebrá-la esta semana?

O Cointelegraph analisa cinco coisas a serem consideradas ao determinar para onde o Bitcoin está se dirigindo nos próximos dias. 

S&P 500 se aproxima de seu máximo...de novo

Ao contrário das semanas anteriores, os mercados macro e seu impacto sobre o Bitcoin estão de volta aos holofotes na segunda-feira, 17 de agosto.

A China lidera o caminho, com suas ações subindo para perto dos níveis mais altos em dois anos com a notícia de que o Banco Popular da China, ou PBoC, está planejando aliviar a política monetária.

O Shanghai Composite Index subiu 2,3% no dia, com os ganhos acumulados no ano em 13%, apesar da turbulência do coronavírus.

O S&P 500 já subiu mais de 50% em relação às baixas de março, com analistas do Goldman Sachs revisando suas previsões anuais para cima. A meta é agora de 3.600 pontos, não 3.000 - um novo recorde.

Mesmo no momento da publicação, o índice estava a apenas 14 pontos de distância dos máximos de fevereiro, antes da chegada do coronavírus.

Gráfico Bitcoin vs. S&P 500 - 1 ano. Fonte: Skew

“Como os últimos meses demonstraram, os preços das ações dependem não apenas do fluxo futuro esperado de lucros, mas da taxa na qual esses lucros são descontados a valor presente”, Bloomberg citou David Kostin do Goldman em nota na sexta-feira.

“Olhando para o futuro, um prêmio de risco de ações em queda superará um aumento nos rendimentos dos títulos e, combinado com nossa previsão EPS acima do consenso, elevará o índice S&P 500 para 3.600 no final do ano.”

As ações anteriormente exerciam influência significativa sobre o Bitcoin, com sua correlação S&P 500 em 95%. Conforme relatado pelo Cointelegraph, apesar da subida do ouro nas últimas semanas, os analistas ainda acreditam que uma mudança dramática nas ações também se refletiria no Bitcoin, dada a recente correlação recorde.

Correlação do ouro x Bitcoin. Fonte: Skew

A correlação do Bitcoin com o ouro caiu desde que este último perdeu seu nível de suporte de US$ 2.000 - de 68% para 48% em agosto, mostram os dados.

Bitcoin vs. ouro - 1 ano. Fonte: Skew

Analista: US$ 12.000 pode fazer o Bitcoin cair

Dentro do Bitcoin, o sentimento do mercado está enfrentando um obstáculo próprio.

US$ 12.000, um nível que passou por vários retestes nas últimas duas semanas, mas não conseguiu se tornar suporte, continua a causar problemas aos traders. A recente ação de preço ressaltou o fato de que US$ 12.000 pode ser uma forte resistência.

“Ainda estamos em tendência de alta, então devo inclinar-me para o lado da alta”, disse o analista do Cointelegraph Markets, filbfilb, em 13 de agosto no seu canal do Telegram. Ele também considera as altcoins em alta, já que o preço do BTC se mantém de lado, um sinal de alta, especialmente depois que "a ação do preço mostrou uma grande recuperação da demanda", explicou ele.

No fim de semana, entretanto, o analista Michaël van de Poppe sugeriu que não quebrar US$ 12.000 foi forte o suficiente para desencadear uma retração mais pronunciada para o BTC / USD. Uma recuperação do suporte de US$ 10.500 era “muito provável”, argumentou o analista. 

“Dada a importância desse nível, estou começando a pensar que esse cenário está se tornando muito provável”, disse Van de Poppe aos seguidores do Twitter. 

“No entanto, uma quebra clara de $ 12K são continuações para $ 13K e possivelmente $ 15-17K.”

Gráfico de preços BTC / USD mostrando possível retração e reversão para US$ 10.500. Fonte: Michaël van de Poppe/ Twitter

O Bitcoin voltou a ser negociado dentro de um corredor em agosto, depois de quebrar a resistência de US$ 10.500 e US$ 11.000 em movimentos abruptos, que surpreendeu os participantes do mercado com sua velocidade e força.

Acima de US$ 12.000, pouco atrapalha o BTC / USD em termos de resistência até a área em torno de seus máximos de US$ 20.000 em 2017.

Taxa de hash recorde precede o aumento de dificuldade

Além das características de preço, o Bitcoin parece mais forte do que nunca.

Na segunda-feira, 17 de agosto, a taxa de hash da rede do Bitcoin atingiu o pico de 129 exahashes por segundo (EH / s).

A taxa de hash se refere ao poder de computação geral que os mineradores têm dedicado para validar a blockchain e processar as transações.

A métrica é uma estimativa em vez de uma medição rígida e clara, com os máximos de todos os tempos relativos à taxa de hash média de sete dias.

O comportamento dos moneradores muda e impacta a estimativa e, portanto, a taxa de hash flutua. Na semana passada, preocupações adicionais surgiram depois que um pool de mineração enviou de repente 800 BTC para a Binance - potencialmente antes de uma venda.

No entanto, os números mais recentes servem para mostrar que o sentimento dos mineradores continua forte. A dificuldade da rede, sem dúvida o sinal mais importante para determinar a saúde imediata do Bitcoin, também deve aumentar em seu próximo ajuste em seis dias. Isso também proporcionará um novo recorde histórico.

Como relatou o Cointelegraph, uma teoria popular sugere que a força sustentada nos fundamentos da rede posteriormente desencadeia um aumento no preço. 

Taxa de hash média do Bitcoin em 7 dias. Fonte: Blockchain

“Ganância extrema” pode desencadear correção

Um fator - ou melhor, uma cesta deles - está disparando um alerta esta semana.

O Crypto Fear & Greed Index, que usa várias fontes para calcular uma impressão do sentimento do investidor, continua a soar o alarme sobre a excessiva “ganância” entre os hodlers.

Na segunda-feira, o Índice ficou em 84/100, apenas três pontos abaixo de sua maior alta de todos os tempos (87) de junho de 2019.

Derivado do Fear & Greed Index para mercados tradicionais, a métrica visa sugerir quando a volatilidade para cima ou para baixo pode ocorrer.

Especificamente, a zona mais alta na qual o Índice reside atualmente significa uma mudança significativa de que o mercado está "sujeito a uma correção".

Em contraste, no final de março, o índice atingiu baixas de 8/100, já que os investidores estavam "muito preocupados" com a força do Bitcoin após o crash de ativos cruzados duas semanas antes.

Índice Crypto Fear & Greed de 17 de agosto de 2020. Fonte: Alternative.me

Analista tem como meta o fechamento mensal de US$ 14.000

Como costuma acontecer, diminuir um pouco o zoom no Bitcoin oferece um argumento positivo muito mais forte para o comprador.

O responsável pela perspectiva esta semana é o analista PlanB, cujo modelo de previsão de preços Stock-to-Flow voltou ao centro das atenções.

Especificamente, em exatamente um ano, o modelo exige um preço BTC / USD de US$ 100.000. Nesse ínterim, diz Plano B, traçar o valor de fechamento mensal do Bitcoin desde o halving de maio resulta em um próximo preço-alvo de US$ 14.000 - o objetivo é superar o maior fechamento mensal de sua história em dezembro de 2017.

Gráfico S2F do modelo de ativos cruzados do Bitcoin. Fonte: PlanB/ Twitter

“3º ponto vermelho (atualmente US$ 11850) acima do 2º ponto vermelho (#Bitcoin julho fecou US$ 11356) e acima do 1º ponto vermelho (junho fechou $ 9132) .. próximo alvo: dezembro 2017 ATH fecha em US$ 14K”, comentou ele ao enviar a versão mais recente do gráfico de preços do modelo.

Leia mais: