O preço do Bitcoin bateu um importante recorde no 3ª trimestre ao manter sua cotação acima de US$ 10 mil por um longo período, ou ainda, R$ 55.982 considerando a cotação para o dólar nesta quinta-feira (15).

Além disso, de acordo com um relatório da CoinGecko, o mercado de capitalização cresceu 31% apenas no 3º trimestre de 2020, enquanto que o preço do Bitcoin esteve acima da importante marca em grande parte deste período.

 

No total, já foram 72 dias com um preço superior a resistência psicológica que a criptomoeda enfrentava ao ser cotada em cinco dígitos. Sendo que essa contagem continua além do 3º trimestre, com o Bitcoin sendo negociado atualmente acima desse suporte.

Bitcoin bate recorde

De acordo com o relatório trimestral lançado pela CoinGecko sobre o mercado de criptomoedas, o preço do Bitcoin está acima dessa marca há mais de dois meses, batendo um importante recorde ao ser mantido acima dessa barreira psicológica.

Para a CoinGecko, o momento é considerado importante para a criptomoeda que não apresentava um bom desempenho desde o que foi considerado como o “Inverno cripto de 2018”.

“Estamos presenciando um período recorde para o Bitcoin ( BTC ) desde o inverno cripto em 2018. Esta é a primeira vez que o Bitcoin ficou acima da referência de US $ 10.000 por um período sustentado de tempo, atualmente atingindo 65 dias consecutivos por no final do terceiro trimestre e contando.”

A estabilidade do preço do Bitcoin também resultou em um importante crescimento da criptomoeda no que diz respeito a valorização acumulada em 2020.

Valorização de 50% em 2020

O relatório da CoinGecko cita que nos últimos nove meses o preço do Bitcoin acumulou uma valorização superior a 50%. Sendo que foi somente no 3º trimestre que a criptomoeda também teve um recorde de permanência de preço.

Foi no dia 18 de agosto que o preço do Bitcoin esteve acima de US$ 12.272, ou seja, aproximadamente R$ 67.115 no Brasil, ao considerar a cotação do dólar para aquele dia.

Segundo o relatório da CoinGecko, com este valor o preço do Bitcoin se aproximou de quebrar o recorde de 2019, momento em que a criptomoeda foi cotada em quase US$ 13 mil, ou, R$ 71.075.

Impulsionado pela alta do dólar diante do real brasileiro, o Bitcoin esteve próximo de quebrar o recorde histórico de preço no Brasil. Enquanto a criptomoeda alcançava cerca de US$ 19.500 no mercado no final de 2017, este valor equivalia a aproximadamente R$ 69.500.

Assim, com o recorde de preço em 18 de agosto de 2020, o Bitcoin esteve bem próximo de romper este valor histórico no mercado brasileiro, após o dólar influenciar na cotação da criptomoeda.

“O terceiro trimestre também viu o preço do Bitcoin atingir um novo pico de $ 12.272 em 18 de agosto, quase atingindo o máximo de 2019 de $ 12.996. O preço do Bitcoin aumentou 50% no acumulado do ano. No entanto, o volume de negociação vacilante sugere que os investidores podem ficar à margem devido à incerteza econômica em curso neste ano.”

Mercado de capitalização cresce

Além do recorde de estabilidade do preço do Bitcoin no mercado, o 3º trimestre registrou um expressivo crescimento no mercado de capitalização. No total, o mercado de capitalização cresceu 31% em três meses, enquanto que o volume de negociação subiu também, mas em 34%.

Conforme cita o relatório da CoinGecko, esse aumento foi desencadeado pela ascensão de exchanges voltadas para projetos Finanças Descentralizadas (DeFi em sua sigla em inglês).

Nesse caso, o relatório observa que exchanges que atuam no mercado descentralizado de criptomoedas tiveram um crescimento de 700% somente em setembro.

Leia Mais: