Satoshi Nakamoto pode ter contado com um proxy russo já em janeiro de 2009, quando o Bitcoin v0.1.0 foi lançado pela primeira vez.

Os sinais indicadores aparecem no arquivo 'irc.cpp' na linha 212, embora isso pareça estar ofuscado com uma cifra simples.

Bitcoin v0.1.0 Arquivo irc.cpp lançado em 9 de janeiro de 2020. Fonte: Satoshi Nakamoto Institute.

Jogos de espiões

Essa cifra parece funcionar removendo todos os zeros e depois convertendo os números da notação hexadecimal em decimal. Isso fornece o que parece um endereço IP: 87.251.146. Na época em que o proxy foi fornecido pela Anders Telecom, aparentemente estava extinto desde 2016.

Especialistas discordam da validade de tal interpretação. O Dr. Javier Estrella, CTO do GeoDB disse ao Cointelegraph:

“A história toda me lembra um pouco 'você pode fazer as estatísticas dizerem o que quiser'. Para mim, é um lembrete simples sobre o formato esperado de alguma variável para saber como processá-lo mais tarde e levá-lo aleatoriamente. ”

No entanto, Alexander Chepurnoy, co-fundador da plataforma blockchain Ergo discorda, ele acredita que esse método de decodificação seja bastante intuitivo.

Escondendo-se na Rússia?

Os proxies são semelhantes às VPNs, eles ajudam a ofuscar a localização do computador. O local no código em que essa linha de comentários é colocada lida com a conexão com o Internet Relay Chat, ou IRC. O próprio Satoshi discute isso em alguns posts no Bitcointalk:

Post de Satoshi no Bitcointalk Discutindo IRC. Fonte: Bitcointalk.

O contexto dessa linha de comentários também suporta a interpretação de que trata-se de um proxy criptografado.

Chepurnoy acredita que, se de fato Satoshi fosse de um dos países que formaram a comunidade de inteligência The Five Eyes, ou FVEY (Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Reino Unido e Estados Unidos), faria todo o sentido usar um proxy russo. Como seria improvável que as agências de inteligência da FVEY tivessem um backdoor para um serviço russo.

Sergey no Vietnã

A busca por esse endereço IP produz resultados no Irã; no entanto, devido à exaustão do endereço IPv4, os endereços IP globais foram reatribuídos desde 2009. Encontramos um usuário chamado Sergey, publicando avaliações de hotéis no Vietnã em dezembro de 2008 e janeiro de 2009, efetuando login no site com o mesmo proxy que Satoshi.

1 de dezembro de 2008 Postagem feita pelo usuário ‘Sergey” que efetuou login com proxy: 87.251.146. Fonte: Otzyv.ru.

24 de janeiro de 2008 Postagem do usuário ‘Sergey” que efetuou login com proxy: 87.251.146. Fonte: Otzyv.ru.

Note-se que o Vietnã é um destino para desenvolvedores russos que procuram escapar dos invernos rigorosos da Rússia.

Satoshi era russo?

O fato de Satoshi estar usando um proxy russo não implica necessariamente que ele ou qualquer membro da suposta equipe tenha laços russos. Embora haja evidências de que os indivíduos de língua russa estavam envolvidos na comunidade Bitcoin (BTC) quase desde o início. De fato, o fórum do idioma russo foi a primeira seção não inglesa no Bitcointalk.

Joseph Vaughn Perling, conhecido no fórum como NewLibertyStandard, participou ativamente das conversas em russo. Ele não parece ter raízes russas e o russo é imperfeito, mas geralmente fluente. Ele se registrou no fórum em 19 de janeiro de 2020 e era o número de usuário 26.

Em um post de 28 de julho de 2010, ele sugere que a grafia russa do Bitcoin não deve ser apenas uma versão russificada do nome, mas uma tradução literal do Bit-Coin. Sua sugestão não ganhou muita força.

Um artigo em russo publicado por NewLibertyStandard De 28 de julho de 2010. Fonte: Bitcointalk.

No entanto, Chepurnoy, aplicando a mesma lógica de antes, diz que é improvável que, se Satoshi fosse russo, usasse um proxy russo, mais provavelmente ele usaria um proxy ocidental para se esconder dos serviços de inteligência russos. Ele sugere explicações alternativas:

"É possível que esse proxy esteja sendo usado no escritório em que Satoshi trabalhava na época ou que alguém de origem russa o tenha compartilhado com ele".

Outras pesquisas podem ajudar a descobrir mais pistas sobre o início da história da identidade do Bitcoin e de Satoshi.

LEIA MAIS