A Chainalysis divulgou um novo relatório, chamado Crypto Crime Report 2022 no qual apontou que em 2021, as transações ilícitas com Bitcoin e criptomoedas chegaram a US$ 14 bilhões, contra US$ 7,8 bilhões em 2020, mas apesar dos valores recorde, representam apenas 0,15% de todas as transações em criptoativos.

Segundo a empresa, desde 2017, houve US$ 33 bilhões, provenientes de operações de lavagem de dinheiro, realizadas com criptomoedas.

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime estima que o equivalente entre 800 bilhões e 2 trilhões de dólares em dinheiro sujo são lavados usando criptoativos a cada ano, algo semelhante a 5% do PIB global. 

Outro crime destacado no relatório é o Ransomware, um ataque cibernético que codifica os dados de uma pessoa ou empresa e exige um pagamento em criptomoedas para liberar o acesso ao banco de dados. Desde 2020, segundo a empresa, foram identificados quase US$ 692 milhões de dólares em pagamentos de resgates. 

As famílias de malwares estudadas na pesquisa mostraram 5.574 downloads de vítimas em 2021. Em 2021, 7,7 bilhões de dólares em criptomoedas foram tirados das vítimas em todo o mundo, segundo aponta o estudo.

"Isto representa um aumento de 81% desde 2020, um ano em que a atividade de fraude havia diminuído significativamente em comparação com 2019", destacou a empresa.

Bitcoin no Brasil

Com base no relatório Cryptocurrency Geography 2021, a Chainalysis constatou que, globalmente, o Brasil está em 14º lugar entre 157 países em termos de adoção de criptomoedas, sendo que na América Latina em 4º lugar, atrás da Venezuela, Argentina e Colômbia.

O mesmo estudo concluiu que a América Latina tem a sexta maior economia de moedas criptográficas das oito regiões analisadas, com US$ 352.8 bilhões em criptomoedas recebidas entre julho de 2020 e junho de 2021. A região da América Latina é responsável por aproximadamente 9% de toda a atividade transacional global. 

"O Brasil tem grande potencial no mercado de criptomoedas e blockchain. É um país que busca formas inovadoras de investimento e está atento às tendências globais. Chainalysis cria um diálogo sobre o tema e promove a educação para um mercado que está em ascensão e precisa ser cuidadosamente analisado" comentou Magdiela Núñez, Gerente de Marketing de Parceiros Globais da Chainalysis.  

Confira o Crypto Crime Report de 2022 na íntegra

LEIA MAIS