O Bitcoin começou a semana com um bom desempenho, saindo do casa dos R$59 mil e chegando próximo dos R$62 mil na segunda-feira (28). Durante a semana, a cotação retrocedeu, voltou a ser negociada na casa dos R$59 mil e teve uma leve recuperação. No momento de escrita deste artigo, o Bitcoin é negociado na casa dos R$ 60.000. 

O impacto dos preço foi pior para as altcoins. Algumas registraram quedas de até dois dígitos nas últimas 24 horas do fechamento deste artigo. Entre as top 20, os piores desempenhos vieram da NEO e da Chainlink, ambas de 15%. Outras altcoins, como ETH, XRP, Polkadot, Cardano e Tezos também apresentaram um desempenho negativo. As quedas foram respectivamente de, respectivamente, 1,36%, 1,61%, 4,45%, 3.44% e 5,5%. 


BitMEX, Hack e Trump 

O desempenho do mercado pode ter sido impactado diretamente pelos problemas legais enfrentados por uma das maiores exchanges do mundo. A CFTC acusou a BitMEX de operar uma exchange de derivativos de forma ilegal, movimentando cerca de US$ 1 trilhão sem autorização para operar com investidores americanos. 

Outro assunto que continuou impactando negativamente o mercado de criptoativos foi o hack da KuCoin. Após o ataque, os hackers começaram a movimentar os tokens roubados para a exchange descentralizada Uniswap. Apesar dessa polêmicas envolvendo os protocolos DeFI, eles continuam atraindo capital. O APY.Finance conseguiu US$ 67 milhões (R$ 380 milhoes) no lançamento de seu programa de mineração

O movimento negativo dos preços não foi exclusividade do mercado de criptomoedas. As bolsas mundiais caíram nesta sexta-feira (02) após anúncio de que Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, está com coronavírus. Na sequência, o mercado de aposta se aqueceu com dúvidas sobre a capacidade de Trump completar seu mandato

Bitcoin, Real e Dólar

Apesar da queda do preço desta semana, o Bitcoin foi considerado o melhor investimento do terceiro trimestre, acumulando 21,33% de valorização. E o Real foi considerado a pior moeda do mundo frente ao dólar, com quase 40% de desvalorização

O mercado brasileiro, apesar das notícias sobre a desvalorização da moeda estatal, teve uma grande novidade no cenário das criptomoedas. A Comissão de Valores Mobiliários, CVM, aprovou a criação do primeiro fundo 100% lastreado em Bitcoin do Brasil, da QR Asset Management. A gestora de recursos da holding QR Capital, lançou na quinta-feira (01) o fundo com alocação integral em Bitcoin, o QR BTC MAX FIM IE. 

O cenário futuro dos preços também parece positivo. O trader Byzantine General destacou 23 fatores que indicam que o Bitcoin está diante de um grande rali no médio prazo. O mesmo deve acontecer com as altcoins, segundo Benjamin Pirus, que após estudar vários cenários e desempenho de algumas altcoins, indicou que um grande rali para moedas como Litecoin, Ethereum, Zcash e Ripple pode estar próximo.