A XP Investimentos, o Itaú BBA e o Banco Genial serão os coordenadores da oferta do novo ETF de Bitcoin (BITH11), da Hashdex, e que estreará na Bolsa de Valores do Brasil, B3, a partir de agosto.

O ETF terá taxa de administração de 1% e a previsão é que aplicação inicial seja de R$ 50,00. Não há um limite máximo para captação, mas segundo declarou a Hashdex o ETF tem como meta alcançar valores similares aos registrados em março, com o lançamento do HASH11, o primeiro ETF de cripto lançado no Brasil.

Segundo divulgou a Hashdex, os investidores têm até 30 de julho para garantir as primeiras cotas do Hashdex Nasdaq Bitcoin Reference Price Fundo de Índice (BITH11).

Alinhado com o conceito ESG, sigla em inglês para ambiental, social e governança, o produto replicará um fundo que busca neutralizar as emissões de carbono derivadas da mineração da moeda digital. E deve chegar à B3 ainda na primeira quinzena de agosto.

“O bitcoin pode contribuir muito para incentivar o uso de energia limpa. Queremos antecipar esse movimento e oferecer ao investidor um produto que estimule o potencial sustentável do ativo”, diz Roberta Antunes, Chief of Growth da Hashdex. “Para nos ajudar, contamos com o apoio da empresa alemã Crypto Carbon Ratings Institute, provedora de uma metodologia globalmente reconhecida para cálculo de emissão de carbono em redes blockchain”, explica.

A CCRI produzirá relatórios anuais com cálculos e estimativas sobre o consumo de energia e a emissão de carbono relativos à mineração (processo de geração de criptomoedas, o qual consome energia) de todos os bitcoins (BTC) adquiridos pelo fundo de índice em questão, o Hashdex Nasdaq Bitcoin ETF.

Esses dados servirão de base para que o ETF reduza sua pegada de carbono e invista em projetos com foco em sustentabilidade.

A Hashdex também recebeu aprovação da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para o lançamento de um ETF 100% Ethereum (ETH). O produto terá o ticker ETHE11. A empresa pretende disponibilizar o ETF para negociação na B3 já em agosto.

ETF da Hashdex é o segundo da B3

queda no valor do mercado de Bitcoin (BTC) e criptomoedas não assustou os investidores brasileiros que, apesar da baixa nos preços, estão investindo massivamente no mercado, como mostra um relatório compartilhado pela Big Data Smartbrain.

Assim, o estudo revelou quais form os ativos mais investidos pelos brasileiros e foi feito com base na plataforma de consolidação de investimentos da Smartbrain, que processa diariamente mais de 300 mil extratos de investimentos, somando mais de R$ 200 bilhões de patrimônio analisados.

Segundo o relatório, em junho, o Ibovespa teve alta de 0,46% - muito abaixo do mês anterior, que chegou a 6,15%, batendo o recorde no ano. No acumulado de 2021, o Ibovespa fechou com alta de 6,54%. 

A Taxa Selic subiu 0,31% ponto percentual e chegou aos 4,25%, terceira alta consecutiva do juro básico da economia brasileira promovida pelo Comitê de Política Monetária (Copom do Banco Central). 

Este cenário ajudou a impulsionar o mercado de investimentos e, com ele, os novos produtos institucionais baseados em criptomoedas também ganharam impulso no país tornado-se um dos principais investimento dos brasileiros.

Assim o ETF de criptomoeda da Hashdex foi o segundo produto de investimento mais procurado pelos brasileiros e o que contou com o segundo maior aporte do período.

Ranking das ações favoritas em junho/2021:

 

TOPAÇÃORent. Mês (%)Rent. Ano (%)Rent. 12 Meses (%)Rent. 24 Meses (%)Rent. 36 Meses (%)
1B3SA3-4,37-16,43-4,5145,07171,78
2HASH11-13,01início em 22/04/2021
3BBSE3-1,29-20,72-10,99-15,9623,62
4VALE30,6237,82123,95147,08164,64
5GGBR4-10,0722,9889,96102,06127,01
6BPAC11-1,7930,6561,45146,75613,55
7PETR49,527,3341,1413,6688,13
8MELI346,91-12,8240,51início em 07/05/2019
9BBAS3-3,67-14,505,43-35,0027,74
10BBDC4-2,784,7640,21-10,5354,94

Fonte: Big Data Smartbrain

LEIA MAIS