Advogados de Steve Wozniak e 17 outras pessoas afetadas negativamente por golpes falsos de distribuição de Bitcoin no YouTube processaram a plataforma e a empresa controladora, Google, por não agir rapidamente para proibir esse tipo de conteúdo.

De acordo com um anúncio do escritório de advocacia Cotchett, Pitre & McCarthy, em 22 de julho, o Google e sua subsidiária YouTube falharam em proteger os usuários dos canais falsos de fraude do Bitcoin (BTC), com imagens e vídeos de Wozniak e outras celebridades. Os canais sequestrados executam golpes de "oferta", afirmando que quem enviar criptomoeda para um determinado endereço receberá muito mais criptomoeda em troca, quando na verdade não recebe nada.

Captura de tela do vídeo falso de distribuição de Bitcoin fornecido pelo escritório Cotchett, Pitre & McCarthy

"Se o YouTube tivesse agido rapidamente para impedir isso de forma razoável, não estaríamos aqui agora", disse Wozniak.

“O YouTube, como o Google, parece confiar em algoritmos e nenhum esforço especial que exija software personalizado foi empregado rapidamente nesses casos de atividade criminosa. Se um crime está sendo cometido, você deve ser capaz de usar humanos para essa análise. Que humano veria postagens como essas e não as proibiria/reportaria como criminosas imediatamente? "

De acordo com Joe Cotchett, um dos parceiros da Cotchett, Pitre & McCarthy, o YouTube "conscientemente permitiu que o golpe do Bitcoin continuasse por meses, o promoveu e lucrou com a venda de publicidade direcionada".

A denúncia inclui Wozniak e outras 17 pessoas dos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Japão, Malásia, China e Europa que foram vítimas do golpe de BTC.

Ripple vs. Apple

O processo de Wozniak ocorre um dia após um caso semelhante ser apresentado pela Ripple Labs. A empresa de criptomoeda processou a plataforma por sua suposta falha em impedir fraudadores e imitadores do XRP.

No entanto, em um comunicado de 21 de julho, a equipe jurídica do YouTube argumentou que a plataforma de compartilhamento de vídeos não é responsável por nenhum conteúdo - incluindo fraudes - fornecido por terceiros.

Ao contrário do caso da Ripple, que foi aberto em um tribunal federal, a equipe jurídica de Wozniak será ouvida por um juiz no Tribunal Superior do Estado da Califórnia, no condado de San Mateo, um tribunal estadual.

Wozniak e sua equipe jurídica farão uma entrevista coletiva virtual e presencial no dia 23 de julho às 11:00 PST em Burlingame, Califórnia.

Leia mais: