Os suprimentos de token para a maioria dos projetos de finanças descentralizadas (DeFi) não são amplamente distribuídos, de acordo com uma análise do cofundador da DeFi Itália e chefe de investimentos de ativos digitais do CryptoLab, Simone Conti.

Ele compilou dados do Defi Pulse e do Etherscan que sugerem que 90% dos tokens para quase todos os projetos DeFi são mantidos pelos 500 principais endereços. Para três dos projetos, esse número sobe para 99%.

De acordo com um gráfico compartilhado por Conti, Compound é o "mais concentrado" dos 10 principais projetos pesquisados (pelo valor total bloqueado) com 96% do fornecimento total sendo mantido por algumas dezenas de pessoas entre os 50 principais proprietários.

Distribuição dos 10 principais tokens do Projeto DeFi. Fonte: Simone Conti

Os cinco principais endereços para a grande maioria dos projetos DeFi detêm mais de 40% de seus respectivos suprimentos totais. Bancor é a única anomalia, mas mesmo assim os 5 principais endereços detêm 33% da oferta. Conti observou que os projetos nascidos antes do recente boom DeFi tendiam a ser mais amplamente distribuídos do que os lançados posteriormente.

Difícil de rastrear

O rastreamento da distribuição de tokens continua sendo uma tarefa complicada, pois diferentes analistas produzem números muito diferentes com base nos critérios de quais endereços incluir.

O chefe da DTC Capita,l Spencer Noon, acredita que Yearn.Finance (YFI) é um dos tokens DeFi mais bem distribuídos na Ethereum, com os cinco principais endereços segurando menos de 10% do fornecimento total. 

“YFI $: 9,5%. Ele tem apenas 2 semanas, mas $YFI já é o projeto #DeFi mais descentralizado de todos os tempos.”

Isso está em contraste marcante com a avaliação de Conti de que os cinco principais endereços da YFI detêm quase 60% do fornecimento total.

Leia mais: