Dados de um analista compararam o desempenho do Bitcoin (BTC) com moedas globais desde o início de 2020.

Os dados mostram que o BTC aumentou algo em torno de 50% a 128% em relação às principais moedas do mundo.

O desempenho do Bitcoin em relação a várias moedas globais. Fonte: DriftwoodPalace

O analista disse:

“Atualização sobre o preço do Bitcoin em várias moedas e em vários prazos. Vamos começar com o acumulado no ano, o preço subiu de 57% na UE para 100% mais na Argentina, Brasil, Rússia, Turquia etc. (os preços são baseados na taxa de câmbio oficial do dólar americano e podem diferir na realidade).”

O Bitcoin teve um desempenho significativamente melhor contra moedas em desvalorização, geralmente com altas taxas de inflação. Por exemplo, o peso argentino registrou 53,9% em 2019, o maior valor em mais de 30 anos.

Em relação ao real brasileiro e ao peso argentino, o Bitcoin registrou ganhos de 128,4% e 103,5%. O ativo digital também registrou um ganho de 56% a 69% em relação a moedas de reserva como o dólar americano e o euro.

O bolívar venezuelano também caiu fortemente em relação ao Bitcoin em meio a uma hiperinflação descontrolada. A natureza instável de muitas economias na América Latina frequentemente resulta em novos recordes históricos para transações de Bitcoin ponto a ponto na Venezuela e na Argentina.

Desde o início de 2020, investidores proeminentes de Wall Street, como o bilionário Paul Tudor Jones, descreveram o Bitcoin como um hedge potencial contra a inflação. A MicroStrategy, uma empresa de bilhões de dólares listada publicamente nos EUA, também comprou recentemente US$ 250 milhões em Bitcoin como seu principal ativo de reserva.

O forte desempenho do Bitcoin em relação a todas as moedas globais no acumulado do ano poderia fortalecer o argumento de que o BTC está evoluindo como reserva de valor.

Também é importante notar que o preço do Bitcoin caiu mais do que qualquer outra mercadoria ou índice em março de 2020. Isso ocorreu quando o preço caiu 65% para US$ 3.596 na BitMEX.

Apesar disso, o Bitcoin se recuperou fortemente, registrando uma alta anual em mais de US$ 12.400 e registrando um ganho de 244% no ano até a data no pico do mês. Enfatizando o forte impulso do BTC, o analista acrescentou:

“O Bitcoin caiu mais do que qualquer outra commodity ou índice no início deste ano. Muito poucos índices ou ativos recuperaram essas perdas. Enquanto isso, o Bitcoin está em alta em todas as moedas desde meados de fevereiro. De 6% na Suécia a 50% no Brasil e Zâmbia.”

Com base na tendência positiva dos preços do BTC e seu forte desempenho em relação às moedas de reserva, os estrategistas acreditam que o Bitcoin pode continuar a prosperar em meio à atual incerteza econômica.

Meltem Demirors, diretora de estratégia da CoinShares, disse:

“Então, onde fica o Bitcoin no ciclo econômico? Durante períodos de incerteza econômica e fraqueza do dólar, o Bitcoin provavelmente se beneficiará da mesma forma que o ouro. Se a financeirização do Bitcoin continuar, ele será incapaz de permanecer isolado do sistema financeiro.”

Alguns analistas argumentam que, em vez de o valor do Bitcoin aumentar substancialmente, o valor das moedas globais caiu em relação ao BTC e outros ativos como o ouro.

Leia mais: