O que é Unick Forex? Saiba tudo sobre esta empresa brasileira

O que é a Unick Forex?

A Unick Forex é bastante conhecida na comunidade de criptomoedas e já ocupou lugar de destaque nos noticiários - em especial os policiais. Mas você sabe exatamente o que é a Unick Forex?

Acusada de ser um dos maiores golpes de criptomoedas do Brasil, a empresa teria movimentado cerca de R$ 28 bilhões de recursos aportados por clientes de todo o país e também do exterior. Prometendo retornos financeiros de até 4% ao dia, a empresa afirmava realizar atividades de trade de Bitcoin no mercado Forex, em corretoras internacionais. 

Contudo, a Unick Forex nunca teve autorização ou dispensa da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para atuar no país e, portanto, suas atividades eram ilegais.

Quer saber o que é Unick Forex, como ela operava, o que aconteceu com a empresa e com os seus clientes? Então confira o nosso especial abaixo.

Quando tudo começou?

Embora o CNPJ associado à Unick Forex tenha sido registrado em 2013, a empresa só começou a operar oferecendo investimentos no segundo semestre de 2017 (quando o site foi oficialmente registrado e lançado), mesma época em que o Bitcoin iniciava uma forte valorização que levaria a criptomoeda a mais de US$ 19 mil.

Segundo investigações da Polícia Federal, o suposto golpe da Unick Forex teria sido planejado desde 2016 e o CNPJ registrado em 2013 seria apenas de ‘fachada’ com a finalidade de trazer credibilidade para a empresa buscando mostrar que ela já estaria ‘há anos’ no mercado.

Apontado como presidente da Unick Forex, Leidimar Lopes também já teria aplicado outros supostos golpes no mercado, como a Phoner, que inclusive chegou a usar o mesmo CNPJ associado a Unick Forex.

O que é Unick Forex e como funcionava o seu suposto golpe?

Quando a Unick Forex começou suas atividades outras empresas no Brasil, também acusadas de pirâmide financeira, vinha arrecadando milhões e fazendo enorme sucesso oferecendo rentabilidade garantida por meio de operações com Bitcoin.

Entre estas empresas destacam-se a MMM Brasil, MinerWorld, Indeal e Kriptacoin, e todas operavam basicamente da mesma forma: os clientes eram obrigados a comprar cotas iniciais de investimento que não podia ser retirado durante um determinado período de tempo, contudo, em cima deste investimento inicial recebiam uma porcentagem que seria proveniente dos lucros da empresa, sempre em torno de 2 a 4% por dia.

Este lucro poderia ser sacado ou ser deixado na plataforma para ‘render’ em um sistema de juros sobre juros. 

Além disso, as empresas operam um sistema de Marketing Multinível no qual os clientes eram remunerados por novos clientes que trouxessem para a empresa.  Pelos novos clientes recebiam bonificações, prêmios, viagens entre outros. A Unick Forex funcionava da mesma forma.

Então, o que é Unick Forex? A empresa vendia seus produtos por meio de fortes campanhas nas redes sociais com vídeos 'ostentação' no qual seus líderes andavam de carros de luxo, faziam viagens internacionais e ostentavam uma vida de regalias que, segundo a Unick, teria sido conquistada por meio do sucesso da empresa.

Além de supostas operações com Bitcoin no mercado Forex a Unick Forex afirmava realizar trade esportivo, investimentos imobiliários, entre outras operações que seriam responsáveis pelo lucro da empresa.

O Bitcoin e a Unick Forex

Quando a Unick Forex iniciou suas operações, além das empresas já citadas que afirmavam operar com criptomoedas e se revelaram uma fraude, o Bitcoin começava a ganhar grande notoriedade pela sua valorização e pelas histórias de pessoas que haviam comprado Bitcoin ‘no começo’ e tinham feito fortunas.

Em agosto daquele ano, o Bitcoin estava cotado a pouco mais de US$ 1 mil e em setembro, quando a Unick Forex iniciou suas operações, já estava cotado a mais de US$ 4 mil. 

Na época, notícias mostravam a preocupação de governos com o Bitcoin e a as principais bolsas de valores do mundo estudavam lançar produtos baseados na criptomoeda (como de fato ocorreu com a CBOE e CME)

Cartões da Visa e Mastercard podiam ser ‘carregados’ com Bitcoin e usados no comércio para comprar qualquer coisa e começou a ganhar força a ideia de que o BTC seria o dinheiro do futuro, de uma sociedade hiperconectada e que poderia até mesmo substituir o dólar como moeda de referência mundial.

Desta forma, como uma grande novidade o Bitcoin chamava a atenção das pessoas que estavam dispostas a ‘ficar ricas’ com esta nova classe de ativos ainda pouco conhecida. 

Também, na mesma época, houve a explosão de ICOs e com ela a criação de centenas de criptomoedas que prometiam ‘revolucionar’ desde a produção de maconha até a indústria espacial.

Arrecadando milhões em menos de 24 horas, as ICOs prometiam fazer os investidores iniciais em novos ricos, desde que tivessem coragem de se ‘arriscar’ e apostar naquela ideia no começo. Este era o clima em 2017 quando o hype em torno das altcoins chegou em seu ápice.

Aproveitando este clima, a Unick Forex passou a oferecer seus produtos de investimento e, enquanto a empresa prometia retornos de até 4% ao dia, o Bitcoin não parava de subir de certa forma, certificando que era possível ‘ficar milionário’ com BTC.  Além de ameaças e brigas, alguns áudios vazados também revelam que o dono da Unick Forex estimulava as vítimas a obter empréstimos de agiotas para investir na pirâmide financeira.

O sucesso da empresa foi tão grande que a empresa tentou comprar um Banco e contratou um lobista para conversar com o Banco Central do Brasil. Segundo documentos, a pirâmide financeira buscava novas formas de lavar seu dinheiro e o próprio banco seria uma das medidas para seguir com esse processo. Thiago Nigro, o Primo Rico, também foi ameaçado pela Unick Forex por conta de vídeo que denunciava empresa

Pirâmide Financeira

Quando as pessoas se perguntam “o que é a Unick Forex”, a resposta inclui acusações de pirâmide financeira, que começaram desde o surgimento da empresa, por conta principalmente de suas estratégias de divulgação, seu modo de operação e suas promessas de rentabilidade infinita e muito acima do que qualquer produto no mercado tradicional.

Além disso, a Unick Forex não tinha autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para atuar no Brasil no mercado Forex e foi proibida pela autarquia de oferecer investimentos no Brasil. Contudo as ordens da CVM nunca foram acatadas pela Unick Forex.

A empresa começou a ser investigada em 2018 por diversas instituições como Polícia Civil, Polícia Federal e Ministério Público Federal por conta de denúncias feitas por usuários da empresa e pela imprensa.

Três dos principais líderes da Unick Forex seguem prometendo lucros "fáceis" através de outra empresa. Rangel Andrade, John Lenon e Valberti Freitas, agora promovem a WorkScore, que promete a seus afiliados lucros de até 100% na venda de produtos em lojas de e-commerce. John Lenon, é apontado pelas autoridades que investigam a Unick Forex como laranja do fundador da pirâmide, Leidimar Lopes.

Atraso nos saques e início dos problemas

Apesar de ser acusada de pirâmide financeira, das investigações da Polícia, de ter suas sedes fechadas em várias cidades e de ser proibida no Brasil pela CVM que emitiu três alertas contra a empresa, a Unick Forex continuou a atrair novos investidores para seu suposto golpe.

Para isso a empresa adotou diversas estratégias como uma mudança de nome - de Unick Forex para Unick Academy - afirmando que não vendia mais ‘pacotes de investimento’ mas ‘cursos voltados ao mercado financeiro’.

Contudo, apesar dos anúncios e das estratégias, a empresa começou a atrasar o saque de seus clientes no primeiro trimestre de 2019. 

Desta forma, os investidores da Unick Forex não tinham mais sucesso ao solicitar os valores investidos e tampouco os supostos lucros semanais.

A Unick Forex alegou diversos problemas para o atraso nos saques, entre eles, atualização na plataforma, ataques hackers, queda no mercado de criptomoedas, roubo de informações, entre outros. 

Justificativas que foram divulgadas em vídeos da empresa e em comunicados, contudo, apesar de todas as promessas, ninguém conseguia receber.
 

Operação Lamanai

Em outubro de 2019 a Polícia Federal realizou a Operação Lamanai que prendeu 13 pessoas da Unick Forex, todos acusados de crimes contra a economia popular (pirâmide financeira), lavagem de dinheiro, fraude, entre outros. Entretanto, bancos estavam 'na cola' da Unick Forex desde 2017 e informaram transações suspeitas ao Banco Central

A operação revelou o poder que a Unick Forex teve no Brasil e também as tramas e estratégias da empresa que teria contratado hackers para derrubar sites que falavam mal da empresa.  E também seguranças para intimidar líderes que cobravam a empresa.

Entre as estratégias da empresa para continuar seu golpe, também há histórias de coações de agentes da Polícia Federal para que eles atuassem em favor da empresa e fornecessem informações sobre investigações, inclusive delegados ligados à Lava Jato. 

A Unick Forex também teria usado diversas empresas ‘de fachada’ para lavar o dinheiro obtido dos investidores e, segundo a Polícia Federal, até mesmo uma escola infantil teria sido usada no esquema. 

Além disso, Leidimar teria aberto empresas usando como ‘laranja’ pessoas de sua própria família, incluindo pai, mãe, esposa e filha.

A Operação Lamanai contra a Unick Forex contou com cerca de 200 agentes federais e prendeu 13 pessoas ligadas a Unick Forex, entre elas, Ledimar Lopes, presidente da empresa; Danter Silva, diretor de marketing do grupo; o advogado Fernando Baum Salomon (apontado como sócio oculto da empresa) e, depois de um tempo, (ele estava foragido) Fernando Marques Lusvarghi.

No total, segundo a Polícia Federal, a Unick Forex teria movimentado mais de R$ 18 bilhões e teria uma dívida com seus mais de 1 milhão de clientes, de R$ 1 bilhão, valor que segundo a Polícia Federal é impossível de ser ressarcido pela empresa.

A Polícia Federal apreendeu com a Unick Forex:

  • 44 carros de luxo, totalizando mais de R$ 5 milhões em valores da tabela da Fipe

  • Duas BMW X6, avaliadas em R$ 390 mil.

  • Um Porsche Panamera, de R$ 400 mil

  • Uma Range Rover Velar, avaliada em mais de R$ 400 mil

  • 1550 Bitcoins

  • Bloqueio judicial de 9 imóveis (valor não divulgado)

  • R$ 200 milhões em diversas contas bancárias

  • R$ 747 mil reais em dinheiro

  • R$ 85 mil reais em moedas estrangeiras

  • Diversas jóias, que estão passando por perícias para identificar autenticidade

A Unick Forex acabou?

A Operação Lamanai desarticulou e acabou totalmente com a Unick Forex. Seus líderes estão sendo indiciados por crimes financeiros, os ativos ligados à empresa estão bloqueados e a CVM aplicou uma multa de R$12 milhões para os líderes

Clientes entraram com ações judiciais em busca de ressarcir valores investidos na empresa e os bens leiloados, contudo, até o momento, os investidores da empresa continuam sem receber.  Os líderes da Unick Forex foram soltos da cadeia pela Polícia devido ao avanço da pandemia do coronavírus e para evitar o contágio e propagação da doença. No entanto, todos estão com restrições impostas pela Justiça. No final do ano passado, Leidimar Lopes ganhou uma tornozeleira com IoT e 4G da Tim para monitoramento de sua liberdade provisória. 

O sonho de milhares de pessoas de ficar milionário com retornos de 4% ao dia, acabou, no entanto, como vem revelando a Polícia Federal, este sonho nunca nem começou pois tudo que a Unick Forex prometia não passava de ilusão, fraude e um dos maiores golpes da história.

Cointelegraph ‘invade’ a Unick Forex

Um arquivo com mais de 500 mensagens do Telegram de Leidimar foram compartilhadas com exclusividade com a equipe do Cointelegraph via pastebin. Nos áudios, envolvimento com deputados, prefeito e ameaças de suicídios trouxeram novas informações sobre a pirâmide. 

O arquivo compartilhado foi dividido em uma série de reportagens investigativas exclusivas sobre a empresa. Na série, há relatos desesperados de investidores da Unick que perderam tudo na empresa e não conseguiram receber nunca mais. Há a verdadeira opinião de Leidimar Lopes sobre os clientes a quem disse querer que eles “se fodam” quando cobravam os valores da empresa.

Além disso, as tentativas de extorsões da Unick o que os líderes fizeram com o dinheiro e muitos detalhes sobre os bastidores da empresa.

Vocês pode conferir a série de reportagens aqui: 1, 2, 3, 45